Coronavírus

Covid-19. Natal poderá ser passado em estado de emergência

David Alves

David Alves

Editor de Imagem

Presidente da República assumiu renovar estado de emergência as vezes que forem precisas.

Especial Coronavírus

O Presidente da República quis ser claro na mensagem e deixar para trás dúvidas e erros na passagem da mensagem. A mensagem? Um país unido para combater a pandemia e fazer descer a pressão sobre o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e o Sistema Nacional de Saúde, sob pena de o Estado de Emergência se manter nos próximos tempos.

No discurso à Nação, Marcelo Rebelo de Sousa quis também deixar um aviso: a terceira vaga é possível que aconteça entre janeiro e fevereiro de 2021, e por isso, o Chefe de Estado fez questão de insistir na convergência de um país em torno das medidas. Para os desagradados com as medidas, Marcelo Rebelo de Sousa sugeriu que esperem pelas eleições para vincarem esse descontentamento.

A pouco menos de uma semana para o Congresso do PCP - que tem levantado muitas críticas - o Presidente da República quis comparar comunistas e católicos e teceu elogios à forma como as confissões religiosas têm "dado um exemplo de serviço de comunidade" ao respeitar o confinamento "mesmo em datas fundamentais para convicções e tradições".