Coronavírus

Pressão aumenta no Hospital de Gaia. Dá assistência a doentes do Amadora-Sintra

Rui Flórido

Rui Flórido

Repórter de Imagem

Lúcia Amorim

Lúcia Amorim

Editora de Imagem

Profissionais de várias áreas são chamados a auxiliar a recuperação de doentes covid.

Saiba mais...

No Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia a situação tem vindo a agravar-se nos últimos dias. Estão internados 180 doentes com covid-19.

Nas últimas semanas chegaram pedidos de ajuda de outros hospitais, um sinal de que o sistema está a encontrar soluções perto do limite.

A unidade de saúde reinventa-se para acomodar tantos doentes, o que já forçou a encontrar vagas noutras enfermarias.

Na nova urgência regista-se também um crescimento nos atendimentos, mas teme-se o agravamento da situação clínica de muitos doentes nos próximos dias.

Na última sexta feira, no Pavilhão Satélite já se percebia o crescimento de casos no Norte do país. Todo o edifício é um internamento covid. O internamento foi entretanto esfotado.

Profissionais de várias áreas são chamados a auxiliar a recuperação de doentes covid.

A nova urgência do Centro Hospitalar de Gaia, inaugurada em novembro, chegou na hora certa. Na manhã de sexta-feira, só na área covid estavam 74 doentes em observação. Recebem todos os cuidados até à entubação invasiva. São doentes que descompensam rapidamente e que podem precisar do dobro ou do triplo do oxigénio de outros doentes.

Ainda há espaço nas boxes da urgência do Hospital de Gaia, mas adivinha-se pelo ritmo do atendimento que os pedidos de ajuda vão começar a chegar cada vez mais. Na sexta feira, também subia a pressão nos cuidados intensivos. Só em 24 horas entraram oito doentes.