Coronavírus

Covid-19. 17% da população portuguesa terá desenvolvido anticorpos

Armando Franca

Os dados são do Painel Serológico Longitudinal para a covid-19, desenvolvido pelo Instituto de Medicina Molecular.

Saiba mais...

A percentagem estimada de população portuguesa que terá anticorpos para a covid-19 é de 17%. Este valor inclui a população que desenvolveu anticorpos de forma natural - que corresponde a 13% - e os indivíduos que receberam a vacina. As conclusões são do Painel Serológico Nacional.

O Instituto de Medicina Molecular (iMM) desenvolveu, no início de março, um Painel Serológico Longitudinal covid-19 para avaliar a evolução da percentagem de anticorpos existente na população portuguesa. Esta investigação partiu do Painel Serológico Nacional, um estudo desenvolvido entre setembro e outubro e que contou com 13 mil participantes.

Segundo as conclusões, divulgados esta sexta-feira, estima-se que a percentagem de população que terá desenvolvido anticorpos para a covid-19, após a infeção natural pelo SARS-CoV-2, seja de 13%. Se, a este valor, juntarmos a população imunizada através da administração das vacinas - que à data do estudo era de cerca de 7% - a percentagem sobe para 17%.

Andrej Ivanov

Os investigadores identificaram ainda que os níveis de anticorpos identificados nos participantes mantêm-se muito semelhantes, mesmo passados seis meses. Quanto aos indivíduos que foram vacinados, foi verificado um elevado nível de anticorpos no sangue.

Durante este estudo, os investigadores realizaram uma reavaliação serológica aos participantes identificados como tendo anticorpos, durante a primeira fase do Painel Serológico Nacional. Foram ainda selecionados, de forma aleatória, três mil participantes que não tinham apresentado anticorpos no primeiro teste.

Por regiões e por faixas etárias

As regiões com grande densidade populacional são as que apresentam maiores percentagens de população com anticorpos, seja causada por infeção natural, seja quando se inclui a vacinação.

As regiões da Grande Lisboa e do Grande Porto apresentam 14% e 18% de população com anticorpos, respetivamente. Nas regiões de baixa e média densidade, a percentagem desce para 12% e 17%.

Plano Serológico Longitudinal para a covid-19

Quando comparando as diferentes faixas etárias, é o grupo entre os 18 e os 54 que apresenta uma maior proteção contra a doença e uma maior influência das vacinas: 14% da população adquiriu anticorpos por infeção natural, um valor que sobe para 21% quando se incluiu a vacinação. Nos maiores de 55 anos, o valor sobe dos 11% para os 14%.

No grupo etário mais jovem, abaixo dos 18, o valor mantém-se nos 15% em ambos os parâmetros, uma vez que esta é a faixa etária com menor nível de vacinação.

Haverá 1,7 vezes mais infetados em Portugal

O Painel Serológico Nacional, divulgado em dezembro de 2020, afirmava que o número real de casos de covid-19 em Portugal era três vezes superior ao número de casos reportados durante o mês de outubro. No entanto, nesta nova fase do estudo, os investigadores concluem que o valor real de casos foi reduzido para 1,7.

A justificação apresentada pelos investigadores prende-se com os testes: “O aumento significativo da testagem nos últimos meses de 2020 e início de 2021 pode ter ampliado a capacidade de rastreio de casos positivos, incluindo as infeções assintomáticas”.

O estudo desenvolvido pelo iMM, em parceria com a Sociedade Francisco Manuel dos Santos e o grupo Jerónimo Martins e que conta com o apoio institucional da Pordata, pretende desenvolver um painel serológico de cobertura nacional alargada da covid-19 na população portuguesa para monitorização da evolução da doença. Nesta investigação participaram mais de 13 mil voluntários.