Coronavírus

"Castigo imposto a Portimão é injusto, incompreensível e inaceitável". Autarca critica decisão do Governo 

Isilda Gomes diz que surtos estão controlados. 

Portimão é um dos quatro concelhos que vai recuar nas medidas de confinamento, isto porque se manteve na linha vermelha com mais de 240 casos de covid-19 por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

A autarca considera que a decisão do Governo é injusta, incompreensível e inaceitável.

Em conferência de imprensa, Isilda Gomes diz que os casos estão relacionados com surtos em escolas.

Ao fim de duas semanas de alívio, os cafés e restaurantes de Portimão são obrigados a recolher as esplanadas e as lojas terão de funcionar ao postigo. No caso dos ginásios e museus, as portas voltam mesmo a fechar.

A expectativa da população era muita, mas depois de anunciadas as medidas pelo primeiro-ministro, na quinta-feira, a reação não foi a melhor.

Para além de Portimão, também Rio Maior, Odemira e Moura vão voltar a estar sob as regras da primeira fase. Estes concelhos devem cumprir as regras que estavam impostas a 15 de março, no arranque do desconfinamento.

DESCONFINAMENTO A TRÊS VELOCIDADES. O QUE MUDA A PARTIR DE SEGUNDA-FEIRA?

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros