Coronavírus

UE avalia cocktail de anticorpos Regeneron/Roche contra a covid-19

EMA está a fazer avaliação do medicamento indicado para tratar e prevenir doença grave que tratou Donald Trump.

Saiba mais...

O laboratório farmacêutico suíço Roche entrou com um pedido de comercialização na União Europeia do cocktail de anticorpos sintéticos contra a covid-19, o Ronapreve, fabricado em conjunto com a norte-americana Regeneron, anunciou esta segunda-feira o regulador europeu.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou recentemente este tratamento para covid-19, mas apenas em casos específicos, e a Agência Europeia do Medicamento está a fazer a avaliação.

Concebido pela empresa de biotecnologia norte-americana Regeneron e comercializado pelo laboratório Roche com o nome de Ronapreve (nos EUA o nome dado é Regen-Cov), este tratamento combina dois anticorpos monoclonais fabricados em laboratório, o casirivimab e imdevimab. Quando injetados por via intravenosa, ajudam o sistema imunitário a neutralizar o novo coronavírus.

► Os anticorpos monoclonais são proteínas concebidas em laboratório que imitam a capacidade do sistema imunitário de combater o SARS-CoV-2, bloqueando a fixação do vírus nas células.

"A EMA começou a avaliar um pedido de autorização de comercialização para a combinação de anticorpos monoclonais Ronapreve (casirivimab/imdevimab)", disse a Agência Europeia de Medicamentos (EMA), com sede em Amsterdão, em comunicado.

O regulador europeu "poderá emitir um parecer dentro de dois meses", acrescentou.

A quem se destina o medicamento

O tratamento injetável Ronapreve "destina-se ao tratamento da covid-19 em adultos e adolescentes a partir dos 12 anos de idade que não necessitem de oxigenoterapia e que apresentem risco aumentado de progredir para um estágio grave" da doença, indicou a EMA.

É também indicado na "prevenção da covid-19 em adultos e adolescentes com 12 anos ou mais", acrescentou.

É o tratamento que Donald Trump recebeu

Este é o tratamento que o ex-Presidente dos EUA, Donald Trump, recebeu após ter sido diagnosticado com covid-19 em setembro/outubro do ano passado.

Pouco depois de confirmar que tinha testado positivo para a covid-19, Trump recebeu no início de outubro uma dose de oito gramas do cocktail de anticorpos Regeneron, apesar de na altura não estar ainda aprovado pela FDA.

ONG denunciam preços elevados

Nos últimos meses, várias ONG têm denunciaram o alto preço do Ronapreve, estimado em cerca de 2.000 dólares (1.700 euros) por dose.

Um pedido de autorização de introdução no mercado é a última etapa do processo em que o Comité dos Medicamentos para Uso Humano da EMA faz uma avaliação científica final antes de fazer uma recomendação à Comissão Europeia.

Outros medicamentos para a covid-19

Esta segunda-feira, a AstraZenca anunciou resultados positivos de um cocktail de anticorpos nos ensaios clínicos de fase 3, anunciou a farmacêutica em comunicado.

O laboratório GSK, rival britânico da Astrazeneca, trabalha num outro medicamento à base de anticorpos monoclonais de longa ação: o medicamento Sotrovimabe foi classificado no final de junho pela Comissão Europeia como um dos cinco tratamentos mais promissores.

A empresa francesa Xenothera está a trabalhar num outro tipo de anticorpo sintético, chamado de "anticorpos policlonais". O medicamento XAV-19, baseado em anticorpos suínos modificados, está na reta final dos testes clínicos.

Vários laboratórios trabalham paralelamente na hipótese de antivirais em comprimidos, sendo um dos mais avançados o Molnupiravir (parceria da Ridgeback Biotherapeutics com o laboratório MSD).

A empresa de biotecnologia Atea Pharmaceuticals está a trabalhar num tratamento desse género.

A Pfizer está a desenvolver um medicamento que combina duas moléculas, entre as quais ritonavir, já amplamente utilizada contra o VIH, o vírus da sida.

Mais de 4,8 milhões de mortos em todo o mundo

A covid-19 provocou pelo menos 4.853.570 mortes em todo o mundo, entre mais de 238.150.550 de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

A covid-19 é uma doença respiratória causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China. Entretanto surgiram novas variantes, nomeadamente as identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

A grande maioria dos pacientes recupera, mas uma parte evidencia sintomas por várias semanas ou até meses.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global