Eleições no Brasil

Lula com 45% das intenções de voto para as presidenciais no Brasil

Lula com 45% das intenções de voto para as presidenciais no Brasil
MIGUEL SCHINCARIOL
Bolsonaro manteve a percentagem de 32% das intenções de voto.

O ex-presidente brasileiro Lula da Silva tem 45% das intenções de voto para as eleições presidenciais agendadas para daqui a um mês, segundo a sondagem divulgada na noite de quinta-feira pelo Datafolha.

De acordo com a sondagem encomendada pela Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo, o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) perdeu dois pontos percentuais em relação à pesquisa anterior do Datafolha, de 18 de agosto.

Para vencer à primeira volta, que se realiza a 2 de outubro, é necessário mais de 50% dos votos.

Bolsonaro mantém os 32% das intenções de voto

O atual Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, segundo a sondagem divulgada, manteve a sua percentagem de 32% das intenções de voto.

Em terceiro lugar está o líder trabalhista Ciro Gomes, que subiu dois pontos percentuais e encontra-se nos 9% dos votos.

Quem mais subiu, e variou para além da margem de erro, foi a Senadora Simone Tebet: cresceu três pontos percentuais e agora tem 5% nas intenções de voto.

Os votos em branco e/ou nulos representam 4%.

Se considerarmos apenas os votos válidos, sem nulos, brancos e indecisos, Lula da Silva caiu de 51% para 48%, deixando-o mais distante da possibilidade de a eleição ser decidida na primeira volta.

E numa eventual segunda volta?

Segundo o Datafolha, numa eventual segunda volta, o ex-presidente regista 53% das intenções de voto e o atual chefe de Estado conta com 38%.

A sondagem, que tem uma margem de erro de dois pontos, foi a realizada entre os dias 30 de agosto e 1 de setembro (após o debate presidencial do último domingo) e reafirma a forte bipolarização entre Lula e Bolsonaro, uma vez que nenhum outro candidato consegue ultrapassar os dois dígitos nas intenções de voto.

O “azar” de Bolsonaro e a “carta na manga” de Lula

O jornalista brasileiro João Gabriel de Lima revela que os dois principais candidatos às eleições no Brasil foram os que se saíram pior no primeiro debate televisivo.

Numa análise feita na SIC Notícias, o jornalista explica que há duas coisas importantes para entender este debate: a primeira é que este foi o primeiro debate da campanha; a segunda, que os dois candidatos principais – Bolsonaro e Lula da Silva – foram lá para apresentar as suas estratégias.

Loading...

João Gabriel de Lima adianta que a estratégia de Lula da Silva é conquistar o eleitorado do centro. Para isso, tem “uma carta na manga”: Geraldo Alckmin, o seu vice, que é um político de centro-direita, explica o jornalista.

Sobre a estratégia de Bolsonaro, afirma que passa por “fortalecer-se onde é mais fraco”, entre o eleitorado feminino. Uma tarefa em que pode ter fracassado, depois de ter atacado a jornalista que moderava o debate.

Últimas Notícias
Mais Vistos