Orçamento do Estado

“O Orçamento da geringonça coxa”. Direita deixa duras críticas ao Governo

Depois da aprovação do documento.

A versão final do Orçamento do Estado para 2021 foi esta quinta-feira aprovada na Assembleia da República, em votação final global. PSD, Bloco de Esquerda, CDS, Iniciativa Liberal e Chega votaram contra.

A direita parlamentar voltou a acusar duramente o Orçamento aprovado, que dizem ser refém do Partido Comunista, com o único objetivo único de manter o PS no Governo.

Orçamento está aprovado, mas a Esquerda deixa um aviso ao Governo

O Orçamento do Estado foi aprovado com a abstenção do PCP, dos Verdes, do PAN e de duas deputadas não inscritas. Mas, nos discursos de encerramento, as bancadas da esquerda avisaram o Governo de que a aprovação, por si só, não garante estabilidade política, e que por isso terá que continuar a negociar.

Anulação da transferência para o Novo Banco

Os deputados aprovaram ainda a anulação da transferência de 476 milhões de euros do Fundo de Resolução para o Novo Banco.

Numa votação confusa e que teve de ser repetida, depois de avocada e debatida no plenário, PSD, PCP, PEV, Chega e a deputada não inscrita Joacine Katar Moreira juntaram os seus votos ao BE para viabilizar esta alteração, apesar dos votos contra de PS, Iniciativa Liberal e da deputada não inscrita Cristina Rodrigues e a abstenção do CDS-PP e do PAN.

Costa: “Tudo faremos para aqueles que quiseram brincar com o fogo não queimem o país”

Na sequência desta votação, o primeiro-ministro agradeceu aos partidos que viabilizaram o Orçamento do Estado e deixou uma mensagem ao Bloco de Esquerda e ao PSD: diz que fará de “tudo para que os que quiseram brincar com o fogo não queimem o país”, lamentando a aprovação de uma medida que considera ameaçar a credibilidade nacional.

Veja também: