Operação Marquês

Os arguidos e os crimes da Operação Marquês

Diogo Torres

Diogo Torres

Jornalista

O ex-primeiro-ministro José Sócrates é o principal de 28 arguidos da Operação Marquês e está acusado por corrupção passiva de titular de cargo político, branqueamento de capitais, falsificação de documentos e fraude fiscal, num total de 31 crimes.

Acusados no processo estão também Ricardo Salgado, ex-presidente do BES, Joaquim Barroca, ex-administrador do Grupo Lena, Zeinal Bava, ex-presidente executivo da PT, Henrique Granadeiro, ex-gestor da PT e Armando Vara, antigo administrador da Caixa Geral de Depósitos.

Outros arguidos constam no processo como, por exemplo, a filha de Vara, o primo, o ex-motorista e a ex-mulher de Sócrates, também acusados pelo Ministério Público.

Às 19 pessoas arguidas foram imputados 159 crimes, de um total de 189. Nove empresas estão acusadas de corrupção ativa, branqueamento de capitais, fraude fiscal qualificada.

O crime de branqueamento de capitais é o que tem mais expressão no processo com a imputação de 86 crimes, seguida por fraude fiscal (35), falsificação de documentos (34) e corrupção ativa (11).

Veja também:

  • 2:07