Violência em Moçambique

Violência em Moçambique. Deslocados são acolhidos por famílias ou encaminhados para campos

Enviados SIC

Rafael Homem

Rafael Homem

Repórter de Imagem

O relato dos enviados especiais da SIC e do Expresso em Pemba.

Continuam a chegar a Pemba, no norte de Moçambique, centenas de pessoas que fugiram dos ataques à Vila de Palma, que aconteceram na semana passada. Algumas pessoas conseguiram reencontrar os seus familiares e contam os testemunhos de como escaparam à violência dos grupos armados. Luís Garriapa, Rafael Homem e Ricardo Marques são os enviados especiais da SIC e do Expresso em Pemba.

Na noite de quarta-feira chegou um barco com centenas de pessoas fugidas. A operação de saída do barco durou toda a manhã desta quinta-feira, porque as autoridades quiseram revistar os mais de mil deslocados com receio que, no meio deles, pudesse vir algum insurgente.

Chegam sem nada e recebem o básico das organizações internacionais e das comunidades de Pemba que já estão habituadas a receber as vagas de deslocados. Seguem para famílias de acolhimento ou campos de deslocados, onde já estão mais de 700 mil pessoas.

Não foi a primeira vez que os alegados membros do Daesh causaram o pânico da população de Palma e dos que lá trabalhavam. Na passada quarta-feira, as rajadas de tiro puseram novamente muitos em fuga, num percurso de vários dias.