Mundo

Explosões em Beirute. Há um antes e um depois das 18:08:18 de 4 de agosto

Hussein Malla

Bruxelas acionou o Mecanismo Europeu de Protecção Civil para enviar rapidamente para o Líbano 100 bombeiros, com veículos, cães e equipamento, vindos dos 27 países-membros da UE, entre eles Portugal.

Depois de uma noite de pânico e desesepro, a luz do dia expôs a dimensão real da tragédia.

Há um antes e um depois das 18 horas 08 minutos e 18 segundos, deste dia 4 de agosto em Beirute. A hora exata em que a estação geológica registou um sismo de 3,3 na escala de Richter, e destruiu parte da capital do Líbano.

A luz do dia revelou a extensão dos estragos. Na área em redor do porto nada está onde estava no dia anterior.

A investigação sobre o motivo das explosões no porto de Beirute indicam que se trata de negligência e não de terrorismo.

Pelo menos 135 pessoas morreram e 5.000 ficaram feridas na explosão que destruiu metade da cidade de Beirute. Há dezenas de desaparecidos e o número de vítimas deverá continuar a subir.

O primeiro-ministro pediu ajuda a todos os amigos do Líbano. Bruxelas acionou o Mecanismo Europeu de Protecção Civil para enviar rapidamente para o Líbano 100 bombeiros, com veículos, cães e equipamento, vindos dos 27 países-membros da UE, entre eles Portugal.

Portugal disponível para enviar 42 operacionais para Beirute

Portugal manifestou esta quarta-feira disponibilidade para enviar 42 operacionais de uma força conjunta para o Líbano, para prestar auxílio às autoridades locais na sequência das duas explosões que abalaram Beirute na terça-feira.

O anúncio foi feito pelo Ministério da Administração Interna (MAI) que, em comunicado, especifica que a equipa é composta por operacionais da Proteção Civil, GNR, INEM e do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa.

Segundo o MAI, os operacionais destacados têm competências nas áreas de busca e salvamento em ambiente urbano, emergência pré-hospitalar e resposta a eventos nucleares, radiológicos, biológicos e químicos.

A disponibilidade para enviar estes operacionais surgem em resposta a um pedido de assistência internacional das autoridades libanesas ao Mecanismo Europeu de Proteção Civil.A mobilização da Força Operacional Conjunta Nacional depende ainda, no entanto, da aceitação formal das autoridades libanesas, acrescenta o MAI.

Como dissipar a escuridão no Líbano? A libra libanesa perdeu 80% do seu valor no último ano

Em outubro de 2019 começou uma onda de manifestacões de centenas de milhares de jovens contra décadas de corrupcão e de má administração dos políticos libaneses.

O colapso económico foi agravado pela Covid-19 e na terca-feira pelas enormes explosões no porto de Beirute.

No meio do colapso, no qual dois em cada três libaneses precisa de ajuda humanitária para se alimentar, Henrique Cymerman, o correspondente da SIC no Médio Oriente, relata a precária situacão que se vive no Líbano, no plano económico, político e militar.

Veja também:

Explosões em Beirute: Acompanhe o minuto a minuto