Mundo

Uma dose da vacina para a covid-19 reduz a transmissão do vírus em quase 50%

Estudo da agência pública de saúde de Inglaterra com as vacinas da Pfizer e da AstraZeneca.

Uma única dose da vacina da Pfizer ou da AstraZeneca reduz a transmissão do novo coronavírus em quase metade no seio da mesma família, onde o risco de contágio é elevado, revela um estudo da agência pública de saúde de Inglaterra (PHE).

As pessoas infetadas com o vírus cerca de três semanas após receberem uma dose da vacina têm 38% a 49% menos probabilidade de transmitirem o vírus a membros da família do que aquelas que não foram vacinadas, segundo a Public Health England em comunicado.

Esse nível de proteção, observado cerca de 14 dias após a vacinação, é semelhante a todos, independentemente da idade da pessoa vacinada ou dos elelemtnos da família.

“É uma notícia fantástica. Já sabíamos que as vacinas salvam vidas e este estudo, o mais abrangente realizado em condições reais, também mostra que reduzem a transmissão deste vírus mortal”, disse o ministro da Saúde britânico, Matt Hancock.

Este estudo acompanhou 57 mil pessoas de 24 mil domicílios onde uma pessoa vacinada testou positivo e comparou os dados com quase um milhão de contatos de pessoas não vacinadas.

Os domicílios familiares são consideradas locais de "alto risco" em termos de transmissão, tal como o são alojamentos partilhados e prisões, que , "apresentam riscos de transmissão semelhante", segundo o PHE.

A agência de saúde destaca também que uma dose da vacina também pode, após quatro semanas, reduzir o risco de desenvolver sintomas em 60 a 65%.

Estudos anteriores da PHE mostraram que, no final de março, as vacinas da Pfizer e da AstraZeneca preveniram 10.400 mortes de pessoas com mais de 60 anos.

O país da Europa com mais mortos a lamentar (mais de 127 mil), o Reino Unido está empenhado numa campanha de vacinação em massa desde o início de dezembro. Está a administrar as vacinas AstraZeneca/Oxford, Pfizer/BioNTech e Moderna.

De acordo com dados oficiais divulgados na terça-feira, quase 34 milhões de primeiras doses foram administradas, e um quarto da população adulta, ou 13,2 milhões de pessoas, receberam uma segunda dose.

Vacinas contra a covid-19: as que estão a ser usadas e as que estão a caminho

Em menos de um ano desde que foi declarada a pandemia foram desenvolvidas várias vacinas em laboratórios por todo o mundo. A primeira vacina a obter autorização de emergência para inoculação foi a da Pfizer e BioNTech. O Reino Unido foi o primeiro país a aprovar esta vacina e a iniciar a campanha de vacinação, em dezembro de 2020.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global