Mundo

Forças israelitas anunciam novos ataques contra Gaza que "atingiram casas de responsáveis" do Hamas

Suhaib Salem

Pelo menos 35 pessoas foram mortas nos ataques israelitas em Gaza e 230 ficaram feridas.

As forças armadas israelitas anunciaram esta quarta-feira ter realizado um novo ataque contra a Faixa de Gaza, enclave palestiniano onde o Hamas, no poder, indicou que a sede da polícia foi destruída.

O exército israelita indicou ter "concluído uma série de ataques, que atingiram casas de responsáveis" do movimento de resistência islâmica Hamas. O grupo armado palestiniano confirmou que estes ataques sucessivos tinham destruído a sede da polícia.

Esta quarta-feira de manhã, o Hamas anunciou ter disparado mais de 200 foguetes contra Israel em resposta aos ataques israelitas contra um edifício no centro do enclave palestiniano.

Hamas lançou "110 foguetes contra a metrópole de Telavive" e "100 foguetes" contra a cidade de Beersheva

O braço armado do Hamas indicou ter disparado "110 foguetes contra a metrópole de Telavive" e "100 foguetes" contra a cidade de Beersheva, "em retaliação pelo reinício dos ataques contra edifícios habitados por civis", de acordo com uma declaração.

Também a Jihad Islâmica, o segundo maior grupo armado palestiniano na Faixa de Gaza, anunciou ter disparado 100 foguetes do enclave palestiniano contra Israel.

"Às 05:00 da manhã [03:00 em Lisboa], desencadeamos um ataque poderoso contra o inimigo [israelita], com 100 mísseis disparados em resposta aos ataques contra edifícios e civis", indicou o grupo armado, que registou a morte de pelo menos dois comandantes nos ataques do exército israelita.

Mais dois israelitas mortos em ataque palestiniano

Duas pessoas morreram esta quarta-feira na cidade israelita de Lod, quando o veículo em que se encontravam foi atingido por um míssil disparado a partir da Faixa de Gaza, anunciou a polícia israelita.

Estas novas mortes elevam para cinco o número total de pessoas mortas em Israel pelos ataques lançados desde segunda-feira à noite por grupos armados em Gaza.

Uma das vítimas mortais era uma rapariga, que morreu no local, enquanto a segunda vítima, um homem de cerca de 40 anos, foi declarado morto no hospital, indicou a polícia, sem precisar a idade da rapariga ou se eram familiares.

As forças armadas israelitas anunciaram que mais de mil mísseis foram disparados, desde segunda-feira à noite, por grupos armados palestinianos, a partir da Faixa de Gaza contra Israel, dos quais 850 foram intercetados pelo escudo antimíssil ou atingiram território israelita e 200 caíram no enclave palestiniano, indicou o porta-voz do exército israelita, Jonathan Conricus.

Palestiniano morre confronto com o exército israelita na Cisjordânia

Em Ramallah, na Cisjordânia, um palestiniano morreu durante um confronto com o exército israelita na Cisjordânia, disseram fontes oficiais palestinianas.

"Um cidadão" morreu depois de ter sido atingido por balas israelitas no campo de refugiados de Al-Fawwar, perto da cidade palestiniana de Hebron, afirmou o Ministério da Saúde palestiniano.

De acordo com a agência de notícias oficial palestiniana Wafa, Hussein Al-Titi, de 26 anos, morreu em confrontos com o exército israelita.

Pelo menos 35 pessoas foram mortas nos ataques israelitas em Gaza e 230 ficaram feridas, indicaram as autoridades locais. Os ataques palestinianos causaram, desde segunda-feira, cinco mortos e dezenas de feridos israelitas.

A violência surgiu, em parte, devido à ameaça de expulsões de palestinianos de Jerusalém Oriental em benefício dos colonos israelitas.

Dos confrontos iniciais entre manifestantes palestinianos e polícias israelitas, particularmente em redor da mesquita de Al-Aqsa, seguiram-se os ataques com foguetes do Hamas contra o Estado judeu e a resposta das forças de defesa israelitas contra a Faixa de Gaza.

Veja também: