Mundo

Cone principal do vulcão de La Palma colapsou parcialmente: "Não suporta o próprio peso"

Daniel Roca

Há uma semana que o vulcão de La Palma está ativo e já atingiu quase 500 edifícios e cobriu 212 hectares.

O cone principal do vulcão de La Palma colapsou parcialmente este sábado.

Segundo o Instituto Vulcanológico das Canárias, foi detetado um novo foco de emissão a oeste da cratera principal, e a rutura do cone do vulcão provocou uma nova vaga de lava, mais rápida e fluida.

Através do uso de um drone foi possível confirmar que o cone tem uma nova fissura, explicou o geólogo Carlos Lorenzo: "Abriu na parte sudoeste e deixou um rasto enorme de blocos muito grandes a deslocar-se pela encosta do cone em direção ao mar".

O El País acrescenta ainda que diretor técnico do Plano de Proteção Especial Civil e Pronto Atendimento de Risco Vulcânico (Pevolca), Miguel Ángel Morcuende, minimizou a importância da ruptura, justificando que "o cone não suporta o próprio peso".

Morcuende tentou tranquilizar os habitantes da ilha esclarecendo que estes fenómenos são normais neste tipo de eventos vulcânicos, caraterizados por uma erupção permanente de lava fluida, com surtos explosivos.

"Isto significa que os diferentes centros emissores sucedem-se ao longo de uma fissura e podem apagar-se ou aparecer novos (...). Estamos diante de uma erupção típica das Ilhas Canárias", explicou.

O gabinete de crise garante ainda assim que o perigo não aumentou, apesar de ter gerado uma forte corrente de lava em direção ao mar.

Governo espanhol declarou a ilha como zona de catástrofe

Desde sexta-feira que as explosões têm vindo a aumentar de intensidade, o que faz com que o alcance do material piroclástico e a emissão de cinzas seja maior.

Atualmente, existem três fluxos de lava ativos. O principal, localizado mais a norte, tem uma altura de frente máxima de 12 metros. A corrente de lava secundária tem uma altura de frente máxima de 10 metros e a terceira, que surgiu na sexta-feira com as novas bocas eruptivas, corre para sul sobre a anterior.

Emilio Morenatti

O Governo espanhol declarou a ilha como zona de catástrofe e reúne-se terça-feira para aprovar um plano de ajuda e reconstrução de La Palma, que assiste à terceira erupção do vulcão Cumbre Vieja nos últimos 100 anos.

As autoridades pedem às pessoas que estão a remover as cinzas que usem máscaras FFP2 e óculos de proteção por se tratar de um material que pode causar muitos problemas de irritação a nível respiratório e nos olhos.

Lava do vulcão já atingiu quase 500 edifícios e cobriu 212 hectares


A lava do vulcão da ilha espanhola de La Palma, nas Canárias, já cobriu 212 hectares de terreno e atingiu quase 500 edifícios, segundo dados do sistema de europeu de satélites Copernicus.

A atualização de dados do Copernicus, que tem acompanhado a evolução da erupção desde o início, diz respeito a medições feitas às 06:50 deste sábado (hora local) e revelam que a lava expelida pelo vulcão afetou ainda 17,5 quilómetros de estradas, dos quais 16,9 quilómetros estão completamente destruídos.

Dos 496 edifícios atingidos, 461 foram considerados destruídos. Não há registo de vítimas, tendo as autoridades retirado mais de 6.000 pessoas da zona de erupção.

Emilio Morenatti

VEJA TAMBÉM: