Mundo

Caso Gabby Petito: FBI encontrou pertences de Laundrie e restos mortais num parque na Flórida

JEENAH MOON

Os restos mortais foram encontrados perto de uma mochila e de um bloco de notas numa área que, até recentemente, estava submersa.

De acordo com a FBI, foram encontrados os pertences de Brian Laundrie, assim como, ao que tudo indica, restos mortais na Reserva de Carlton, Flórida. Brian Laundrie é uma pessoa de interesse no homicídio da namorada, Gabby Petito, que foi encontrada morta num parque em Wyoming.

Michael McPherson, do FBI de Tampa, disse numa conferência de imprensa que precisam de tempo para identificar os restos mortais, encontrados num parque na Flórida, trabalho que está ser levado a cabo pela equipa forense.

Os restos mortais já estarão num estado de decomposição, que pode indiciar que a morte aconteceu há vários dias, ou semanas. Fontes próximas da família dizem que, o mais provavel é que os restos mortais encontrados, sejam de facto de Brian Laundrie. Contudo, a polícia ainda não confirmou essa informação.

Junto aos restos mortais, os agentes encontraram uma mochila e um bloco de notas numa área que, até recentemente, estava submersa.

"Estamos a trabalhar diligentemente para obter respostas", adiantou McPherson.

Os pais de Brian participaram nas buscas, um mês após o desaparecimento do filho. Na terça-feira, Chris e Roberta Laundrie, comunicaram às autoridades a intenção de participar nas buscas, juntamente com as forças de segurança.

Brian Laundrie, de 23 anos, é uma pessoa de interesse no homicídio de Gabby Petito. A jovem de 22 foi estrangulada até à morte, o que coloca o namorado como o principal suspeito, apesar do seu envolvimento ainda não ter sido provado.

Segundo o advogado Steven Bertolino, o uso do cartão bancário da noiva é a única razão pela qual Brian é procurado.

O corpo de Gabby foi encontrado a 19 de setembro no Parque Nacional de Grand Teton, Wyoming, que o casal tinha visitado.

VEJA TAMBÉM:

  • Esqueçam o atrás...

    Tenham noção

    O recado de Rodrigo Guedes de Carvalho sobre redundâncias. Tenham noção que dizer ou escrever "há cinco anos atrás", "subir para cima" ou "descer para baixo" é desnecessário.

    SIC Notícias