Opinião

Festejos do Sporting. “Foram episódios que se lamentam e mancharam uma festa histórica”

João Rosado, comentador SIC, analisa a conquista do título pelos “leões” e a festa dos adeptos.

O Sporting colocou esta terça-feira termo a um jejum de títulos de campeão que durava há 19 anos, ao sagrar-se campeão português pela 19.ª vez, ao vencer na receção ao Boavista, por 1-0, com um golo de Paulinho, aos 36 minutos do jogo da 32.ª jornada da I Liga.

João Rosado lamenta a “conduta incrontrolável” de alguns adeptos, considerando que os ajuntamentos e os confrontos com a polícia foram episódios “que mancharam uma festa histórica” e que tudo depende da consciência cívica de cada um.

Questionado sobre o que correu mal, o comentador SIC defende que deveria ter existido uma comunicação prévia entre o clube, as forças de segurança e os grupos de adeptos para que se “entendesse que as pessoas teriam que ficar mais recadatadas”, uma coisa que “não foi feita à priori”, afirma.

“Até que ponto se poderia criar uma situação invulgar e original se as pessoas tivessem permissão para entrar no estádio? Teria possibilitado um clima mais pacífico?”, lança a pergunta.

Sobre a conquista do título, reconhece mérito ao treinador, à equipa e ao Presidente do clube.

“Clube, teinador e presidente souberam construir uma equipa de sucesso. Quando Amorim foi contratado foi questionada a sua competência, muitos meses depois [Amorim] confirma-a".

ESPECIAL SPORTING CAMPEÃO

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Opinião

    Rui Correia

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros