País

MAI abre inquérito a morte de bombeiro em incêndio na Lousã

Bombeiro tinha 36 anos de experiência.

O Ministério da Administração Interna, lamentou a morte do bombeiro que morreu durante o combate a um incêndio na serra da Lousã, no passado sábado, e confirmou a abertura de um inquérito.

Em investigação estará o que levou à morte de um bombeiro, durante um incêndio que estava aparentemente controlado.

O Comandante dos Bombeiros Voluntários de Miranda do Corvo revelou que a vítima mortal, antigo chefe da corporação, tinha 36 anos de experiência no terreno.

Mudança da direção do vento cercou bombeiros no incêndio da Lousã

A mudança da direção do vento, tal como as características acidentadas do terreno, surpreenderam o grupo de bombeiros enquanto combatia o incêndio na serra da Lousã, no passado sábado.

Miranda do Corvo decreta três dias de luto municipal por morte de bombeiro

A Câmara de Mirando do Corvo decretou três dias de luto municipal em memória do bombeiro.

O presidente da Câmara Municipal de Miranda do Corvo, Miguel Baptista, "decretou três dias de luto municipal em memória e reconhecimento de José Augusto Dias Fernandes, chefe dos Bombeiros Voluntários de Miranda do Corvo", informa a autarquia numa nota enviada hoje à agência Lusa.

Veja também: