País

"Mantenho total confiança em Eduardo Cabrita". António Costa pronuncia-se sobre o caso SEF

Pressionado pelos partidos para apresentar a demissão, o ministro da Administração Interna tinha colocado a decisão nas mãos do primeiro-ministro.

O primeiro-ministro, António Costa, garantiu esta sexta-feira, no final do Conselho Europeu, em Bruxelas, que mantém "total confiança" no ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, no âmbito da morte do ucraniano Ihor Homeniuk nas instalações de acolhimento temporário do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), no Aeroporto de Lisboa.

"Para que não haja a menor das dúvidas, mantenho total confiança no Dr. Eduardo Cabrita como ministro da Administração Interna. Foi o ministro que fez o que lhe competia fazer. Assim que houve notícia do caso, mandou abrir um inquérito. O inquérito que mandou abrir foi o que permitiu apurar a totalidade da verdade. Comunicou imediatamente às autoridades judiciárias para procederem criminalmente. E assegurou, com a senhora Provedora de Justiça, um mecanismo ágil para poder ser feita a reparação devida à família", afirmou António Costa, acrescentando que Eduardo Cabrita tem pronto uma "reforma profunda" do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

António Costa, que falava aos jornalistas no final do Conselho Europeu, considerou ainda que a morte do uncraniamo Ihor Homeniuk foi um "ato bárbaro que ocorreu por parte de uma força de segurança".

Pressionado pelos partidos para apresentar a demissão, o ministro da Administração Interna tinha colocado a decisão nas mãos do primeiro-ministro.

Eduardo Cabrita disse na quinta-feira que foi o primeiro a agir e que lidou com este caso sempre sozinho, sem atenção pública.

“Eu fui o primeiro não só a lamentar, fui o primeiro a agir quando muitos estavam distraídos, muitos estavam confinados, muitos estavam desatentos”, afirmou.

O ministro da Administração Interna vai ser ouvido na próxima terça-feira no Parlamento, em Lisboa, por causa da morte do ucraniano Ihor Homeniuk. 9 meses depois, o Estado decidiu indemnizar a família do homem.

A audição foi aprovada esta quinta-feira por unanimidade, depois de um pedido do PSD que deu entrada na semana passada e de um pedido da deputada não inscrita, Joacine Katar Moreira.