País

Jorge Coelho "pensava que quando uma pessoa é responsável, é responsável até ao fim"

O jornalista Henrique Monteiro recorda Jorge Coelho.

O político e antigo ministro Jorge Coelho morreu esta quarta-feira, aos 66 anos, vítima de um ataque cardíaco fulminante, na Figueira da Foz.

O jornalista Henrique Monteiro considera que quem melhor definiu Jorge Coelho foi António Guterres, "o que não admira, porque eram os dois muito próximos".

"Guterres disse uma coisa que era exatamente aquilo que era Jorge Coelho. (...) Jorge Coelho era um símbolo da vida."

Recorda o histórico socialista como alguém que "era amigo de toda a gente": "Tinha muitas qualidades".

Jorge Coelho foi o político que assumiu a responsabilidade na sequência da queda da ponte de Entre-os-Rios. Na memória de todos fica a forma como se demitiu e eternizou a célebre expressão "a culpa não pode morrer solteira".

"Eu penso que o Jorge Coelho pensava aquilo mesmo", diz Henrique Monteiro. "Pensava que quando uma pessoa é responsável, é responsável até ao fim. Independentemente de ter ou não a responsabilidade."

Henrique Monteiro, na SIC Notícias, partilha a única coisa de que se arrepende em relação a Jorge Coelho: "Fui talvez demasiado exigente com ele quando foi para a Mota-Engil".

"A atenção ao interior" e o desenvolvimento da ferrovia poderão ser "das boas homenagens" ao legado de Jorge Coelho, diz Henrique Monteiro.

Veja também: