País

Ramalho Eanes diz que Portugal deve a Otelo a liberdade e a democracia

Cerimónias fúnebres de Otelo começam hoje em Lisboa, sem luto nacional.

O corpo de Otelo Saraiva de Carvalho está, a partir desta tarde, em câmara ardente na Igreja da Academia Militar, em Lisboa.

O cortejo fúnebre parte da Capela da Academia Militar para o Crematório de Cascais em Alcabideche.

Otelo Saraiva de Carvalho, militar e estratego do 25 de Abril de 1974, morreu no domingo de madrugada aos 84 anos, no Hospital Militar, em Lisboa.

Ramalho Eanes: "Notícia da morte de Otelo Saraiva de Carvalho magoou-me e surpreendeu-me"

O ex-Presidente Ramalho Eanes diz que Portugal deve ao militar de Abril a liberdade e a democracia. O ex-presidente da República Ramalho Eanes defendeu que Otelo Saraiva de Carvalho tem direito a um "lugar de proeminência histórica", apesar "da autoria" do que considerou "desvios políticos perversos, de nefastas consequências".