Saúde e Bem-estar

Dormir menos de 5 horas por noite aumenta risco de doenças crónicas

Dormir menos de 5 horas por noite aumenta risco de doenças crónicas
Canva

Alguns conselhos para dormir mais e melhor.

Um novo estudo em larga escala vem alertar para os riscos de dormir cinco horas por noite ou menos. À medida que envelhecemos, são maiores as probabilidade de desenvolvermos várias doenças crónicas.

O estudo, publicado na revista PLOS Medicine, analisou um grupo de quase 8.000 funcionários públicos no Reino Unido que não tinham doenças crónicas aos 50 anos. Os cientistas pediram aos participantes que relatassem quantas horas dormiam por noite e foram sendo feitos exames a cada quatro ou cinco anos durante os 25 anos seguintes.

Aos 50 anos, as pessoas que dormem cinco horas ou menos por noite correm um risco 30% maior de desenvolver várias doenças crónicas do que aquelas que dormem pelo menos sete horas por noite.

Aos 60 anos, o risco aumenta para 32% e aos 70 anos salta para 40%.

As doenças para as quais há um risco maior incluem diabetes, cancros, doença coronária, acidente vascular cerebral, insuficiência cardíaca, doença pulmonar obstrutiva crónica, doença renal crónica, doença hepática, depressão, demência, distúrbios mentais, Parkinson e artrite.

Um outro estudo mostra que adultos que não dormem o suficiente – entre sete e nove horas por noite – têm maior hipótese de desenvolver doenças crónicas que também incluem obesidade e pressão arterial alta, de acordo com os Centros de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA.

Ao contrário outros estudos, este mais recente não detetou que pessoas que dormem mais de nove horas tinham problemas de saúde, mas poucos dos voluntários dormiam tanto, o que pode ter afetado os resultados.

Esta investigação tem ainda outras limitações: a maioria dos participantes eram homens brancos e apenas cerca de um terço eram mulheres. e as conclusões foram baseadas em dados relatados pelos voluntários, o que é considerado menos fiável do que uma recolha dos dados feita diretamente pelos cientistas, num estudo do sono em que os cientistas pudessem observar diretamente como cada pessoa dormia.

“Sono de curta duração na meia-idade e na velhice está associado a maior risco de aparecimento de doenças crónicas e morbidade”, segundo o estudo. “Esta conclusão apoia a ideia de que é necessária a promoção de uma boa higiene do sono na prevenção primária e secundária, visando condições comportamentais e ambientais que afetam a duração e a qualidade do sono”.

Em declarações à CNN, a professora Sharon Cobb, que trabalha na pesquisa do sono mas não esteve envolvida neste novo estudo, afirmou que estas conclusões são importantes porque fornecem mais provas de que o sono e as condições crónicas estão relacionados, mas também alerta que o estudo não explica o que pode realmente estar a causar as doenças crónicas entre as pessoas que dormem cinco horas ou menos.

Conselhos para dormir melhor:

  • Estabeleça um horário de sono consistente. Treinar o corpo para ir para a cama sempre à mesmo hora e acordar no mesmo horário todos os dias facilita o descanso noturno regular.
  • O quarto deve ser escuro, silencioso e livre ou animais de estimação que possam interferir no sono.
  • Mantenha a temperatura do quarto a 18/19ºC.
  • Evite cafeína, álcool e grandes refeições antes de dormir.
  • Dê preferência à leitura e não utilize tablets, telemóveis ou outros dispositivos eletrónicos antes de dormir.
  • Tome um banho de imersão cerca de duas horas antes de se deitar.
  • O exercício durante o dia também pode levar a um sono melhor à noite, mas evite o final do dia (pelo menos três horas de intervalo antes de dormir).

Últimas Notícias
Mais Vistos