Desporto

PGR abre inquérito ao caso Marega

HUGO DELGADO/ EPA

A PSP está analisar as imagens de videovigilância para identificar os adeptos que participaram nos cânticos racistas.

A Procuradoria-Geral da República instaurou esta segunda-feira um inquérito para analisar caso dos insultos ao jogador do FC Porto. A investigação está entregue ao Departamento de Investigação e Acão Penal de Guimarães.

Marega pediu para ser substituído ao minuto 71 da partida com o Vitória de Guimarães, por ter ouvido cânticos e gritos racistas de adeptos da formação vimaranense, numa altura em que os 'dragões' venciam por 2-1, resultado com que terminaria o encontro.

Nas redes sociais, o avançado explicou o que sentiu e qualificou os adeptos que o insultaram de "idiotas", contestando ainda o comportamento da equipa de arbitragem, liderada por Luís Godinho, que disse não o ter defendido e ainda lhe ter mostrado um cartão amarelo.

"E também agradeço aos árbitros por não me defenderem e por terem me dado um cartão amarelo porque defendo minha cor da pele. Espero nunca mais encontrá-lo em um campo de futebol! Você é uma vergonha!", escreveu o maliano.

A PSP já está analisar as imagens de videovigilância para que "rapidamente se consiga identificar o aparente elevado número de pessoas que participaram nos cânticos racistas" ao futebolista Marega, do FC Porto, revelou o diretor nacional daquela polícia.

O que devem fazer os árbitros em caso de comportamentos racistas

O comentador da SIC, António Ribeiro Cristóvão, e Duarte Gomes, antigo árbitro internacional e comentador da SIC Notícias, analisaram esta segunda-feira a saída de campo de Marega devido a cânticos racistas dos adeptos adversários.

O momento em que Marega abandonou o campo

CLASSE POLÍTICA JUNTA-SE À CONDENAÇÃO

Vários partidos já se pronunciaram sobre o tema, entre eles o PCP, que pediu hoje a audição, no parlamento, do ministro da Administração Interna, secretário de Estado do Desporto e Liga de Clubes sobre "medidas a adotar".

Também o primeiro-ministro e o Presidente da República já se pronunciaram sobre este caso. Numa publicação no Twitter, António Costa manifestou a sua "solidariedade" com Marega e o "repúdio total" por atos racistas contra o futebolista do FC Porto, esperando que "as autoridades ajam como lhes compete" para impedir que voltem a acontecer.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condenou os insultos racistas de que o jogador do FC Porto Marega foi alvo no domingo, lembrando que a Constituição da República é muito clara na condenação do racismo, xenofobia e discriminação.

"A Constituição da República Portuguesa é muito clara na condenação do racismo, assim como de outras formas de xenofobia e discriminação, e o povo português sabe, até por experiência histórica, que o caminho do racismo, da xenofobia, e da discriminação, além de representar a violação da dignidade da pessoa humana e dos seus direitos fundamentais, é um caminho dramático em termos de cultura, civilização e de paz social", considerou Marcelo Rebelo de Sousa, numa declaração à agência Lusa.

"Vergonha em Portugal"

Os jornais desportivos, em especial os europeus, não poupam críticas ao episódio que aconteceu este no Estádio D. Afonso Henriques.

Veja os destaques das principais publicações desportivas.

Veja também: