Coronavírus

Sobe para 636 o número de mortos devido ao coronavírus

Rodrigo Urzagasti

Mais 71 em relação ao último balanço.

O número de mortes provocadas pelo novo coronavírus subiu esta quinta-feira para 636, mais 71 em relação ao último balanço divulgado pelas autoridades chinesas, todas na província de Hubei.

Das 636 vítimas mortais, 634 são em territória chinês, uma nas Filipinas e outra em Hong Kong. Há ainda mais de 30 mil casos confirmados.

Dois portugueses suspeitos de estarem infetados já tiveram alta

Os dois homens que estiveram internados no hospital Curry Cabral, em Lisboa, sob suspeita inicial de estarem infetados com coronavírus, já tiveram alta.

Do outro lado do mundo, há sete cidadãos com passaporte português retidos a bordo de um cruzeiro que está sob quarentena, em Hong Kong.

Portugueses repatriados de Wuhan podem pedir psicólogos

Vinte pessoas estão em internamento voluntário no Hospital Pulido Valente, em Lisboa, depois de terem sido repatriadas da cidade chinesa de Wuhan, onde o coronavírus surgiu, em dezembro passado.

A diretora-geral da Saúde disse esta quinta-feira que os repatriados podem pedir psicólogos se assim o desejarem.

Graças Freitas revelou ainda que as 20 pessoas vão repetir, pela segunda vez, os exames no final do período de isolamento. Até lá, vão poder, por exemplo, frequentar um espaço exterior que lhes está reservado e sempre com máscara.

Morreu o médico que denunciou o surto

O hospital de Wuhan anunciou esta quinta-feira às 20h00 (04h00 de sexta-feira em Pequim) que o médico chinês que denunciou o início do surto de coronavírus morreu.

O Governo chinês avançou inicialmente que o médico tinha morrido, mas, mais tarde, o hospital anunciou que estava em estado grave. Horas depois, o hospital de Wuhan confirmou mesmo a morte de Li Wenliang.

Aumenta o número de infetados na Europa

O número de casos confirmados de coronavírus na Europa subiu para 30 e os mais recentes foram anunciados no Reino Unido e na Alemanha.

O vírus chegou aos arredores da cidade alemã de Munique através de um formador chinês que visitou a Webasto, uma fornecedora de peças automóveis.

Os casos confirmados em solo alemão estão todos relacionados com a empresa onde os funcionários foram expostos aos vírus e infetaram a família.

Veja também: