Coronavírus

Covid-19: Como me posso proteger e como posso proteger a minha família?

Covid-19: Como me posso proteger e como posso proteger a minha família?

Inês M. Borges

Inês M. Borges

Designer Gráfico e Multimédia

Através de um conjunto de artigos, vídeos e animações, baseados em conhecimentos científicos recentes, tenta dar-se respostas a estas e a outras perguntas sobre o novo coronavírus.

Todos os cuidados são poucos num momento em que o número de casos de infeção pelo novo coronavírus continua a crescer. Todos os dias, as autoridades pedem para que cada cidadão se proteja e proteja os seus familiares e amigos.

A proteção pode até parecer um processo simples, mas à medida que o vírus se propaga, procuramos que seja mais eficaz. Dado isto, não podemos resumir as medidas de proteção pessoal à lavagem das mãos e ao distanciamento social. É necessário perceber como devemos agir fora e dentro das nossas casas.

Como me posso proteger?

Portugal já entrou na fase de mitigação, que corresponde ao nível de alerta e de resposta mais elevado. Estamos agora a falar de uma epidemia ativa, que pode levar a uma transmissão comunitária, e a melhor forma de impedir as cadeias de transmissão é ficar em quarentena.

Esta medida não é fácil de implementar, visto que existem algumas tarefas que nos obrigam a sair de casa, como é o caso de comprar produtos alimentares. Se assim for, escolha uma pessoa do agregado familiar para fazer essas compras, ou para passear os cães, devendo os outros estar confinados à habitação.

Sabe-se também que muitos portugueses estão a trabalhar e todos os dias têm de se deslocar para um local onde vão estar em contacto com dezenas de pessoas. Neste caso, os cuidados devem ser redobrados.

Segundo as recomendações da Direção-geral da Saúde, a proteção passa por lavar as mãos com frequência, quer com água e sabão quer com uma solução à base de álcool (70%), evitar o contacto próximo com pessoas com infeção respiratória, evitar tocar na cara com as mãos e evitar partilhar objetos pessoais. Quando tossir ou espirrar, deve fazê-lo para um lenço de papel descartável - que deve ser colocado de imediato no lixo - ou para o antebraço.

Tanto em casa como no trabalho, os espaços são partilhados. Mantenha uma limpeza do espaço proativa.

Como posso proteger a minha família?

Como sugere o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) deve criar um plano de ação familiar. O contacto com pessoas de risco, isto é, com idade mais avançada ou com doenças associadas, deve ser evitado. Por isso, veja como pode cuidar dos familiares que pertencem a estes grupos, nomeadamente, dos pais, avós, tios e até vizinhos. Confirme se têm acesso a várias semanas de medicação e a outros bens essenciais e mantenha o contacto via telefone ou internet.

É também importante manter-se informado, junto de fontes de informação credíveis, para acompanhar a evolução do surto em Portugal e perceber quais os melhores comportamentos a adotar. Se a sua junta de freguesia ou autarquia dispõe de um site ou página nas redes sociais, deve acompanhar os dados que vão sendo disponibilizados. Pode ainda criar um grupo com os vizinhos nas redes sociais.

E se tiver um doente infetado em casa?

Estes doentes devem evitar o contacto com os coabitantes e, se for possível, dispor de uma casa-de-banho própria. Mais uma vez, a limpeza dos espaços e superficíes é fundamental.

Cuidados a ter na limpeza em casa

As evidências científicas mais recentes relatam que o novo coronavírus pode permanecer em superfícies durante horas ou dias, dependendo do material em causa. Deve prestar especial atenção à limpeza das superfícies em que haja manipulação, como os tablets, as maçanetas, os interruptores, as meses, torneiras e casas-de-banho. Para não se comprometer na tarefa, utilize luvas descartáveis, que devem ser colocadas no lixo.

Seja proativo na limpeza dos espaços comuns.

Veja mais:

  • 100 mortes e 5.170 casos de Covid-19 em Portugal

    Coronavírus

    O número de óbitos subiu de 76 para 100 em relação ao último balanço da DGS, enquanto o número de infetados aumentou de 4.268 para 5.170, mais 902 em relação a ontem. A região Norte continua a ser a mais afetada. A ministra da Saúde diz que a incidência máxima da doença deve acontecer no final de maio. Siga aqui ao minuto as últimas informações sobre a pandemia de Covid-19.

    Direto

    SIC Notícias