Coronavírus

"Ficar em casa é a única arma que existe para combater esta guerra sanitária"

"Ficar em casa é a única arma que existe para combater esta guerra sanitária"

A análise de Bernardo Ferrão ao estado de emergência declarado pelo Presidente da República.

Especial Coronavírus

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, declarou esta quarta-feira o estado de emergência em Portugal, na sequência da pandemia da Covid-19.

Na declaração que fez ao país, o Presidente explicou que esta se trata de uma “verdadeira guerra” que dura há um mês e que é uma tarefa de todos a sua contenção, de forma a encurtar prazos e “salvar vidas”.

"As pessoas não vão passar a ser proibidas de ir para um lado ou para outro"

O diretor-adjunto da SIC, Bernardo Ferrão, esteve no Jornal da Noite para comentar a mensagem do Presidente da República e explicar em que situações é que o Governo pode intervir quando um país está em estado de emergência. Um desses casos é a greve dos trabalhadores de empresas. Esse direito pode ser suspenso. Algumas atividades comerciais também podem ter de fechar.

"Tem de haver um esforço para que o país não pare por completo"

O ministro das Finanças disse hoje que o impacto do novo coronavírus na economia vai ser semelhante ao de uma guerra. Esta quarta-feira de manhã, o Governo apresentou um pacote de linhas de crédito para as empresas no valor de três mil milhões de euros.

No Jornal da Noite da SIC, Bernardo Ferrão falou da importância da economia e sublinhou que têm de ser feitos esforços para que Portugal não pare por completo.

Veja também: