Coronavírus

"Governo desperdiçou o melhor mês para combater a pandemia"

Pneumologista Filipe Froes considera que identificar assintomáticos deveria ter sido uma prioridade em agosto.

Especial Coronavírus

O pneumologista e coordenador do Gabinete de Crise Covid-19 da Ordem dos Médicos, Filipe Froes, esteve na Edição da Noite da SIC Notícias, esta segunda-feira, para falar sobre a pandemia de Covid-19 em Portugal.

"Tem de haver capacidade de entidades independentes ao organizador fiscalizarem se as medidas estão a ser cumpridas"

Filipe Froes considera que a Festa do Avante! deveria ser fiscalizada por entidades independentes à organização, uma vez que não há capacidade da parte da Direção-Geral da Saúde para a devida fiscalização.

Esta segunda-feira, o PCP garantiu que a redução da lotação do recinto vai ser cumprida, bem como a recomendação de lugares sentados. Segundo o partido comunista, todos os espetáculos vão ter lugares sentados, com distanciamento de dois metros, e as cadeiras vão ser higienizadas nos intervalos.

Portugal pode ser retirado da lista de países seguros do Reino Unido

O jornal The Times informou no domingo que o Governo britânico deverá voltar a tornar obrigatória a quarentena para quem chegue de Portugal a partir do final desta semana. Em causa está o aumento de infetados com coronavírus nos últimos sete dias.

"Viagens aéreas representam um grande risco de importação e exportação de casos"

O coordenador do Gabinete de Crise Covid-19 da Ordem dos Médicos reconhece que Portugal depende muito do turismo britânico mas alerta que devem existir vários níveis de intervenção.

“Temos de fazer bem o nosso trabalho. Fazer tudo o que está ao nosso alcance para não deixarmos o corredor aéreo do Reino Unido dependente da roleta diária dos números”, disse.

"Governo desperdiçou o melhor mês para combater a pandemia"

Filipe Froes considera que o Governo português desperdiçou o mês de agosto para combater a pandemia. Diz que identificar assintomáticos deveria ter sido uma prioridade.

"Temos de ter capacidade de fazer testes o mais precocemente possível. Temos de ter os recursos humanos e técnicos para rapidamente identificar os casos, fazer testes nas primeiras (idealmente) 12 horas, fazer o rastreio desses casos, identificar os contactos de alto risco e testar todos os contactos, mesmo que não tenham sintomas", reforçou.

Portugal em situação de contingência a partir de 15 de setembro

O Governo anunciou no passado dia 27 que, a partir de 15 de setembro, todo o país vai entrar em situação de contingência, face à pandemia do novo coronavírus.

Filipe Froes explica que a vantagem da situação de contingência é "criar um contexto normativo e legislativo que favorece a implementação mais rápida e mais célere de várias medidas". Considera que há uma medida que Portugal já deveria estar a equacionar, que passa pelo uso da máscara na rua. O pneumologista diz que, apesar de não ser o mais provável, há a possibilidade de haver transmissão do vírus por aerossol.

"Em breve vamos ter outros vírus em circulação e as máscaras também têm eficácia para esses vírus. Tudo o que pudermos fazer para diminuir o impacto, maximizar a resposta e ganhar reserva, é obrigatório fazer, tudo é legítimo", continuou.

"Temos de adiar o máximo possível o início da segunda vaga"

O coordenador do Gabinete de Crise Covid-19 da Ordem dos Médicos já tinha defendido que a segunda vaga de Covid-19 em Portugal estava para breve. Agora, diz que o mais importante a fazer é "adiar ao máximo" o início da segunda vaga no país.

Portugal regista 1.822 mortes e 58.012 infetados com o novo coronavírus desde o início da pandemia.

  • 15:42