A SIC em Tóquio

Tóquio2020. O que leva a organização a ponderar o cancelamento?

SIC em Tóquio

Mário Cabrita

Mário Cabrita

Repórter de Imagem

Há cinco casos positivos na Aldeia Olímpica, sendo que apenas três são atletas.

A organização dos Jogos Olímpicos Tóquio2020 admite o cancelamento do evento, a três dias do arranque das provas.

A hipótese foi admitida na manhã desta terça-feira, depois do aumento de novos casos covid-19 no Japão. Miguel Guerreiro, enviado da SIC, explica o que leva a organização a ponderar o cancelamento.

A possibilidade de cancelar a competição foi avançada pelo presidente executivo da organização Tóquio 2020, durante a reunião do Comité Internacional Olímpico.

A decisão será tomada mediante o número de casos covid-19 tanto na Aldeia Olímpica como na cidade de Tóquio.

Esta decisão surge também numa altura em que o Governo japonês está a ser altamente criticado pela forma como está a gerir a pandemia. A popularidade do primeiro-ministro – que foi eleito no ano passado com 70% dos votos – caiu a pique, estando agora nos 30%.

Miguel Guerreiro explica que há cerca de 70 infeções identificadas entre os Jogos Olímpicos, tendo sido apenas identificados cinco casos na Aldeia Olímpica – três são atletas, um é treinador e outro fará parte da comissão de um dos países.

Na cidade de Tóquio, que tem 14 milhões de habitantes, o número de diário de casos tem superados as mil infeções, o que representa um problema muito grande para a comunidade nipónica.

ACOMPANHE O ESPECIAL JOGOS OLÍMPICOS

A SIC EM TÓQUIO

VEJA MAIS:

  • Vamos falar de jejum: era capaz de ficar 16 horas por dia sem comer?

    País

    O jejum intermitente é um regime alimentar que impõe um período de restrição alimentar. Existem vários modelos, mas o mais conhecido é dividido em 16 horas de jejum e oito horas em que pode comer livremente. Os especialistas reconhecem benefícios nesta prática, mas afirmam que a investigação científica ainda é escassa.

    Exclusivo Online

    Filipa Traqueia