Orçamento do Estado

OE 2022: Governo está aberto a melhorias, garante primeiro-ministro

ANTÓNIO PEDRO SANTOS

António Costa insiste que este é um bom Orçamento do Estado.

O primeiro-ministro reúne-se, esta tarde, com o PCP e o Bloco de Esquerda, no Palácio de São Bento, em Lisboa, no âmbito das negociações sobre o Orçamento do Estado para 2022.

António Costa insiste que este é um bom Orçamento, mas garante que o Governo está disposto a melhorá-lo.

Marcelo Rebelo de Sousa voltou hoje a dizer que o "desejável é não haver crise" política por causa do Orçamento do Estado.

O Presidente da República acrescentou que o que tinha a dizer "disse na altura certa" e que agora vai aguardar por dia 27 de outubro.

O PCP diz que não cede a pressões nas negociações do Orçamento do Estado e diz que o partido está disponível para encontrar soluções que protejam os trabalhadores.

Jerónimo de Sousa defende ainda que o que se exige em matéria de Orçamento do Estado são "respostas para os problemas e não dramatizações políticas", sustentando que essas respostas "não só são necessárias como são possíveis".

"São exigidas respostas para os problemas e não dramatizações políticas", disse Jerónimo de Sousa, enquanto discursava durante uma sessão intitulada "Envelhecer com direitos. Surto epidémico. As respostas necessárias", no Centro de Trabalho Vitória, em Lisboa.

No "Linhas Vermelhas" desta segunda-feira, a bloquista Mariana Mortágua comentou as negociações do Orçamento do Estado, acusando o Governo de António Costa de não demonstrar verdadeira disponibilidade de acordos com o Bloco de Esquerda e de responder ao partido pela televisão.

Mariana Mortágua lembra que o Partido Socialista não quis repetir a "Geringonça", preferindo negociar medida a medida, o que veio complicar a facilidade de entendimentos à Esquerda.

Também a flutuação política do Governo de António Costa foi alvo de críticas da bloquista, nomeadamente, por António Costa preferir procurar acordos, ora à Esquerda, ora à Direita, consoante o momento político.

Para o fim, Mariana Mortágua guardou outra acusação, partilhando que o Governo não responde às propostas do Bloco de Esquerda, preferindo comentar através da televisão, como fez João Leão, de acordo com a bloquista, sem que o partido de Esquerda tenha conhecimento prévio.

Por sua vez, o PAN diz que há uma aproximação com o Governo nas negociações, mas avisa que ainda nada está decidido.

Inês de Sousa Real esteve reunida com os secretários de Estado do Orçamento e dos Assuntos Parlamentares na última noite.

No final da reunião, a líder do PAN disse à Antena 1 que estes são "momentos difíceis, exigentes e complexos", mas que o partido está a negociar com o Governo para encontrar um "caminho comum".

"Houve uma aproximação daquilo que possa ser uma tentativa de diálogo e de convergência em matérias que, de alguma forma, possamos chegar a algum ponto comum", adiantou.

O PAN entregou também ao Executivo um caderno de encargos com várias medidas que quer ver incluídas no Orçamento do Estado para o próximo ano.

VEJA TAMBÉM: