País

Envio de dados pessoais. Embaixada da Rússia garante que ativista pode regressar a casa "tranquilamente"

Canva

A entidade diplomática elogia a atuação das autoridades portuguesas em relação ao processamento de dados pessoais.

A Embaixada da Rússia em Portugal reagiu ao caso da partilha de dados pessoais de ativistas russos que organizaram manifestação de apoio a Alexei Navalny, o principal opositor de Putin. Numa nota publicada no site, a entidade diplomática garante que a ativista pode regressar "tranquilamente para casa".

Garantem ainda que a Rússia não tem interesse nos ativistas, que estes têm uma imaginação mal intencionada e que querem atrair atenção mediática através de provocações deploráveis.

"Não interessam nem à Embaixada em Lisboa, nem a Moscovo os tais indivíduos com imaginação malsã. Temos outras prioridades que constituem o trabalho construtivo em prol do desenvolvimento da cooperação russo-portuguesa, pode ler-se.

A Embaixada deixa ainda elogios à atuação das autoridades portuguesas em relação ao processamento de dados pessoais.

A Câmara Municipal de Lisboa enviou à Embaixada da Rússia em Portugal os dados dos três ativistas russos que organizaram a manifestação de apoio ao principal opositor do regime. Fernando Medina pediu desculpa pelo que considera ter sido um erro da autarquia.

Veja mais: