País

Ministério Público pede medida de coação mais gravosa para Joe Berardo e o advogado

As medidas de coação deverão ser conhecidas esta sexta-feira.

O Ministério Público considera que existe risco de Joe Berardo fugir do país, de continuar a atividade criminosa e de concertar versões com dirigentes da banca, figuras públicas e indivíduos envolvidos nos esquemas que estão a ser investigados. Esta sexta-feira serão conhecidas as medidas de coação.

Da parte da acusação, os riscos justificam o pedido de uma medida de coação mais gravosa do que o simples termo de identidade e residência – a mais leve das opções – quer para Joe Berardo, quer para o advogado André Luiz Gomes.

Os dois arguidos estão indiciados por oito crimes de burla, fraude fiscal, branqueamento de capitais, falsidade informática, falsificação e abuso de confiança.

O processo encontra-se em segredo de justiça, mas, ao que a SIC apurou, os procuradores temem que Berardo possa fugir para um de cinco país com os quais mantém ligações e de onde poderia tentar evitar com sucesso uma eventual extradição.

O Ministério Público defende ainda que a elevada rede de relacionamentos do empresário madeirense pode ser um risco para a conservação da prova. Teme ainda que Berardo possa concertar versões com dirigentes da banca, figuras públicas e indivíduos envolvidos nos esquemas que estão a ser investigados.

Joe Berardo teve de receber assistência médica durante interrogatório

Depois de ter passado duas noites na prisão da Polícia Judiciária, o interrogatório a Joe Berardo não terá servido para esclarecer todas as dúvidas do tribunal. O empresário foi ouvido pelo juiz Carlos Alexandre durante 45 minutos e, no final, teve de receber assistência médica por parte do INEM.

O advogado André Luiz Gomes, que foi interrogado antes, foi ouvido durante sete horas.

Veja mais: