Coronavírus

Ensino pela televisão arranca a 20 de abril com aulas de 30 minutos

Cerca de dois milhões de alunos abrangidos pelo ensino à distância.

Especial Coronavírus

As aulas para os alunos do ensino básico, transmitidas a partir de 20 de abril na RTP Memória durante o terceiro período que começa a 14 de abril, vão ter apenas 30 minutos e incluem disciplinas como educação física e artística, anunciou hoje a tutela.

O Ministério da Educação divulgou hoje a grelha do espaço #EstudoEmCasa, que vai ocupar parte da programação da RTP Memória durante o terceiro período, das 09:00 às 17:50 com aulas para o 1.º e 2.º ciclos de manhã e para o 3.º ciclo à tarde.

À exceção das aulas de educação artística, que se destinam a todos os alunos, a grelha está organizada por escolaridade e a parte da manhã está reservada às aulas do 1.º ao 6.º ano, enquanto os conteúdos para os alunos do 7.º ao 9.º ano são transmitidas à tarde.

Os diferentes anos são agrupados em grupos de dois e, por isso, os alunos do 1.º ano vão partilhar a matéria com os alunos do 2.º ano, à semelhança dos alunos dos 3.º e 4.º anos, 5.º e 6.º anos e 7.º e 8.º anos, sendo a exceção as aulas do 9.º ano.

A programação vai incluir disciplinas como Educação Física, Literatura, Alemão, Francês e Espanhol até 30 minutos diários de iniciação ao Português para falantes não-nativos. Já os alunos 1.º ciclo vão ter trinta minutos semanais de leitura e para os 5.º e 6.º vai haver “oficina de escrita”.

A cidadania é transversal a todos os anos de escolaridade e vai ser abordada no contexto de várias disciplinas, como Estudo do Meio, História, Geografia ou Ciências Naturais.

Telescola vai funcionar como um complemento do ensino à distância

Em comunicado, o Ministério da Educação explica que a emissão do #EstudoEmCasa na RTP Memória vai permitir alcançar a generalidade dos alunos, ultrapassando alguns dos constrangimentos no acesso ao ensino que têm sido denunciadas por pais, professores e diretores escolares ao longo das ultimas semanas.

Em declarações à Lusa, o diretor da RTP Memória admitiu na quinta-feira que a iniciativa representou um “um desafio tremendo” para toda a equipa envolvida no projeto.

Questionado sobre quanto tempo levou a montar este projeto, Gonçalo Madaíl afirmou: "Diria que, intensamente, foram duas semanas e meia a trabalhar" e isto só foi possível "com muito espírito de missão e uma carga emocional muito grande".

O diretor da RTP Memória adiantou ainda que está a ser criada uma plataforma digital, onde os conteúdos das aulas serão disponibilizados, de forma a cobrir “o pleno do ponto de vista do dispositivo para que ninguém fique sem acesso”.

Final do ano letivo adiado para 26 de junho

O primeiro-ministro anunciou na quinta-feira que, até ao 9.º ano, todo o terceiro período prosseguirá com ensino à distância, com avaliação, mas sem provas de aferição nem exames, mantendo-se os apoios às famílias com filhos menores de 12 anos.

António Costa adiantou que, "de modo a ter o alcance mais universal possível, estas emissões diárias [de ensino à distância] serão transmitidas, a partir do dia 20, no canal RTP Memória, que é acessível não só por cabo ou satélite, mas também através da TDT".

Paralelamente, a RTP 2 vai também transmitir conteúdos direcionados às crianças da educação pré-escolar.

O Governo decidiu em março encerrar todas as escolas e desde 16 de março que o ensino passou a ser feito à distância. Em casa, estão cerca de dois milhões de crianças e jovens que frequentavam desde creches a estabelecimentos de ensino superior.

O Governo decretou no final do mês passado o Estado de Emergência, que foi prorrogado por mais 15 dias, por causa da disseminação do novo coronavírus que já fez mais de 400 mortos e infetou mais de 15 mil pessoas em Portugal.

Portugal com 435 mortos e 15.472 infetados pelo novo coronavírus

Em Portugal, segundo o balanço feito quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 409 mortes, mais 29 do que na véspera (+7,6%), e 13.956 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 815 em relação a quarta-feira (+6,2%).

Dos infetados, 1.173 estão internados, 241 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 205 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até ao final do dia 17 de abril, depois do prolongamento aprovado no dia 02 de abril na Assembleia da República.

Mais de 96 mil mortos e 1,6 milhões de infetados em todo o mundo

A pandemia do novo coronavírus já matou 96.340 pessoas em todo o mundo e infetou quase 1,6 milhões em 193 países e territórios desde o seu aparecimento, segundo um balanço da agência France-Presse, às 10:00 de esta sexta-feira, através de fontes oficiais.

Os Estados Unidos são o país mais afetado em número de casos, com 466.299 casos e 16.686 mortos, continuando a Europa a ser o continente com mais casos contabilizados (826.382) e de mortos (66.642).

A Itália é o país europeu com maior número de mortes (18.279), seguida da Espanha (15.843), da França (12.210) e do Reino Unido (7.978).

Na Bélgica, nas últimas 24 horas, registaram-se 496 mortes, elevando o total para 3.019, enquanto em Espanha ocorreram mais 605 mortes, o número mais baixo desde 24 de março.

A América Latina e as Caraíbas passaram os 50.000 casos declarados, com mais de 2.000 mortos, sendo o Brasil o país mais afetado, com 17.847 casos e 941 mortos.

África tem registados quase 700 mortos.

ACOMPANHE AQUI AO MINUTO TODA A INFORMAÇÃO SOBRE A COVID-19

ESPECIAL NOVO CORONAVÍRUS

  • Uma Casa Cheia
    13:06