Operação Marquês

Ricardo Salgado só terá de comparecer em tribunal caso queira prestar declarações

O coletivo de juízes confirmou que o antigo banqueiro está dispensado de comparecer nas sessões devido à pandemia.

O inspetor tributário Paulo Silva, uma das principais testemunhas, foi ouvido esta quinta-feira, na segunda sessão do julgamento de Ricardo Salgado. O antigo líder do Grupo Espírito Santo (GES) voltou a não estar presente.

A defesa de Ricardo Salgado esclarecia, à chegada ao Campus de Justiça, que o antigo banqueiro não iria estar presente na sessão do julgamento que arrancou pouco depois das 10:00. O coletivo de juízes confirmou que Salgado está dispensado de comparecer nas sessões em tribunal devido à pandemia. Só impõe a presença do arguido na última sessão, caso queira prestar declarações.

Na segunda sessão do julgamento, foi ouvido Paulo Silva, responsável pela investigação de grandes processos mediáticos – entre os quais a Operação Furacão e a Operação Marquês. Os advogados da defesa levantam dúvidas sobre o estatuto de testemunha atribuído ao inspetor tributário.

Ricardo Salgado, de 77 anos, está acusado de três crimes de abuso de confiança, devido a transferências de mais de 10 milhões de euros no âmbito do processo Operação Marquês.

Veja mais: