País

Eduardo Cabrita enfrenta vários pedidos de demissão

O ministro da Administração Interna vai ser ouvido no Parlamento, esta terça-feira, no âmbito da morte do ucraniano Ihor Homeniuk.

O ministro da Administração Interna parece cada vez mais isolado. Quando chovem os pedidos de demissão de Eduardo Cabrita, só o PCP veio dizer que a questão não passa pela substituição do ministro. Jerónimo de Sousa não alinha com a extinção do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), nem com a fusão de polícias.

Catarina Martins reafirma que Eduardo Cabrita perdeu as condições para exercer o cargo

A coordenadora do Bloco de Esquerda reafirmou este domingo, em Alcanena (Santarém), que o ministro da Administração Interna "perdeu as condições para o lugar que ocupa", dada a forma como lidou com a atuação do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Falando no final de uma reunião com ativistas ambientais do distrito de Santarém, realizada este domingo no Centro de Ciência Viva do Alviela, em Alcanena, e questionada a propósito da atuação do ministro da Administração Interna no caso do cidadão ucraniano alegadamente assassinado no aeroporto de Lisboa por elementos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), Catarina Martins lamentou que, em vez de anunciar "transformações profundas" na segurança das fronteiras e na política de imigração, "para que os direitos humanos fossem respeitados", Eduardo Cabrita tenha escolhido "vitimizar-se".

"No momento em que era preciso dizer ao país das transformações profundas, profundas, que é necessário na segurança das fronteiras e na política de imigração para que os Direitos Humanos fossem respeitados, o ministro decidiu vir à televisão vitimizar-se e isso mostra uma incapacidade destas alterações que o país precisa e nós julgamos que, assim sendo, não tem condições para continuar", declarou.

"Fica a ideia de que ninguém está a governar"


O CDS também veio esta segunda-feira criticar o ministro Eduardo Cabrita, pela forma como o país tem sabido da reestruturação no SEF.

Numa declaração assinada por Telmo Correia, os centristas notam que fica a ideia de que já "ninguém está a governar".

O deputado diz que as decisões têm sido anunciadas por várias fontes e lembra até que foi o Presidente da República o primeiro a anunciar a reformulação das polícias.

"Em política o ridículo mata e ele matou-se", diz Marques Mendes sobre Eduardo Cabrita

Sobre o caso do cidadão ucraniano morto às mãos de agentes do SEF, Luís Marques Mendes afirma que o ministro da Administração Interna não tem condições para continuar no cargo.

O comentador da SIC diz mesmo que "é uma questão de tempo" até Eduardo Cabrita sair.