País

Imigrantes realojados no Zmar. "Fomos sobressaltados com camiões a entrar, cães a ladrar"

Diretora do alojamento descreve o momento em que os imigrantes chegaram ao empreendimento turístico.

Durante a madrugada, um grupo de perto de 30 imigrantes foi realojado no complexo Zmar. Os proprietários e moradores do empreendimento turístico contam que foram “sobressaltados com camiões a entrar”, depois de as autoridades terem dito que podiam ir descansar.

“Às 3:30 bateram-me à porta – tendo duas crianças menores dentro de casa – e pediram-me para sair e fazer o check in a estes imigrantes, algo que eu recusei porque, enquanto mãe, não posso deixar as minhas filhas menores sozinhas em casa”, diz Sandra Ferreira, diretora do alojamento Zmar.

Depois de uma noite de “muita agitação”, o ambiente no empreendimento “é pacífico”.

“Estas pessoas não vêm para aqui para provocar desacatos”, sublinha a diretora.

As regras de permanência entre as duas partes do empreendimento – a zona turística onde estão alojados os imigrantes e as casas privadas – ainda não foi dada a conhecer à direção do Zmar.

Elementos da Câmara Municipal deslocaram-se ao empreendimento para realizar uma reunião com os proprietários.

GNR DIZ QUE ATUOU A PEDIDO DA PROTEÇÃO CIVIL

A Guarda Nacional Republicana (GNR) esclareceu que acompanhou a operação de realojamento na sequência de um pedido da Proteção Civil Municipal de Odemira.

Em comunicado, a GNR explica que a sua atuação surge em resposta a um pedido da Proteção Civil Municipal de Odemira "para garantir as condições de segurança no transporte dos cidadãos a deslocar para as instalações do 'ZMar Eco Experience'".

A Guarda indica ainda que a operação, que decorreu pelas 04:00 e "sem incidentes", contou com o reforço do Comando Territorial de Beja e da Unidade de Intervenção.