País

Mulher de João Rendeiro está em Portugal

Exclusivo SIC

SIC captou o momento em que a GNR foi a casa do ex-banqueiro para executar a detenção.

As autoridades portuguesas vão emitir um segundo mandado de captura internacional contra João Rendeiro. O ex-banqueiro estará num país que não tem acordo de cooperação com Portugal, mas a Justiça tem esperança na extradição com base em tratados e convenções internacionais.

A mulher de João Rendeiro está em Portugal. A SIC captou imagens esta sexta-feira na mansão do ex-banqueiro, na Quinta Patino, em Cascais, no momento em que estava a ser abordada pela GNR de Alcabideche.

O paradeiro de João Rendeiro ainda não é certo, mas seja qual for o novo país onde se escondeu, fontes policiais – contactadas pela SIC – acreditam no repatriamento do fugitivo. Somadas todas as sentenças, o ex-banqueiro foi condenado a 19 anos de prisão efetiva.

A eventual extradição, estando num país sem acordo, depende de um juiz do Tribunal Superior do Estado onde se encontra e também de alguma diplomacia e reciprocidade. Ao abrigo de mecanismos de cooperação internacional, a Justiça portuguesa pode pedir a respetiva detenção com vista ao repatriamento.

O primeiro mandado de captura foi emitido esta quarta-feira e o segundo está por horas. Este novo mandado diz respeito à condenação, já transitada em julgado, a cinco anos e oito meses de prisão por crimes de falsificação informática e falsificação de documentos.

João Rendeiro já planeava a fuga desde agosto. O advogado Carlos do Paulo disse, numa entrevista dada esta quarta-feira, que era o novo defensor do antigo banqueiro, mas a procuração – a que a SIC teve acesso – já tinha sido assinada a 25 de agosto. José António Barreiros e Joana Fonseca apresentaram a renuncia à defesa do ex-banqueiro.

O Jornal de Notícias avança que Rendeiro está no Belize, país da costa leste da América central, a partir do qual terá sido detetado o registo de acesso online do blog pessoal – onde publicou o texto a afirmar que não iria voltar a Portugal.

► Veja mais: