Coronavírus

Portugal com mais 6 mortes e 688 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Rafael Marchante

Dados da Direção-Geral da Saúde.

Especial Coronavírus

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta terça-feira a existência de um total de 1.963 mortes e 74.717 casos de covid-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1.957 para 1.963, mais 6 do que ontem - 5 na Região de Lisboa e Vale do Tejo e 1 na Região Centro.

O número de infetados aumentou de 74.029 para 74.717, mais 688 que na segunda-feira.

Nas últimas 24 horas recuperaram da doença 309 pessoas, sendo agora o total de recuperados desde o início da pandemia 48.193.

Quanto ao número de pessoas internadas, há apenas mais 2 desde ontem, estando no total hospitalizadas 661. Há mais 1 pessoa internada nos cuidados intensivos, totalizado 99.

O boletim refere ainda que as autoridades de saúde têm em vigilância 44.231 contactos, mais 60 em relação a segunda-feira, e que foram dados como recuperados nas últimas 24 horas 309 doentes.

Dados por região

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificados mais 478 novos casos de infeção o que representa quase 70 por cento do total de casos registados hoje, contabilizando a região 38.294 casos e 759 mortes.

A região Norte regista hoje mais 160 novos casos de covid-19, totalizando 26.735 e 884 mortos desde o início da pandemia.

Na região Centro registaram-se mais 16 casos, contabilizando no total 6.076 infeções e 263 mortos.

No Alentejo foram registados mais cinco casos de covid-19, totalizando 1.499 casos, mantendo-se os 23 mortos anteriormente registados.

A região do Algarve tem hoje notificados mais 22 casos de infeção, somando 1.622 casos e mantém os 19 mortos.

Na Região Autónoma dos Açores foram registados mais dois novos caso nas últimas 24 horas, somando 269 infeções detetadas e 15 mortos desde o início da pandemia.

A Madeira registou cinco casos nas últimas 24 horas, contabilizando 222 infeções, sem óbitos até hoje.

Idade e género

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções, com um destaque para a faixa entre os 40 e os 49.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 33.905 homens e 40.812 mulheres, de acordo com os casos declarados.

Do total de vítimas mortais, 987 eram homens e 976 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nas pessoas com mais de 80 anos.

Mais de 1 milhão de mortos em todo o mundo

Mais de um milhão de mortes provocadas pelo novo coronavírus foram registadas em todo o mundo desde sua deteção na China, de acordo com uma contagem da Agência France-Presse, a partir de fontes oficiais.

No total, 1.000.009 mortes foram oficialmente registadas em todo o mundo, para 33.018.877 casos, às 22:30 de domingo.

A AFP refere ainda que 22.640.048 pessoas foram consideradas curadas pelas autoridades.

Países e regiões mais afetados

As regiões mais afetadas, em termos de número de mortes, são América Latina e Caribe (341.032 mortes para 9.190.683 casos), Europa (229.945 mortes para 5.273.943 casos) e Estados Unidos e Canadá (214.031 mortes para 7.258.663 casos).

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (204.499) e também com mais casos de infeção confirmados (mais de sete milhões).

Seguem-se, em número de mortos, o Brasil, Índia, México e Reino Unido.

Mais 100 milhões de doses de vacinas reservadas para países mais pobres

A Aliança para as Vacinas anunciou hoje que os países mais pobres reservaram mais 100 milhões de doses da vacina que for criada contra a covid-19, fabricadas na Índia e vendidas ao preço máximo de três dólares (2,5 euros).

Em agosto, a GAVI (que reúne várias agências da ONU, como a Organização Mundial de Saúde, e entidades como o Banco Mundial) e a fundação Gates já tinham anunciado em agosto uma colaboração com um instituto indiano (SII) que é o maior fabricante mundial de vacinas, para distribuir 100 milhões de doses.

O plano é o SII fabricar a vacina que venha a ser criada pelas farmacêuticas AstraZeneca e Novavax e disponibilizá-la ao organismo Covax, lançado pela OMS para garantir o acesso mundial a vacinas, tratamentos e diagnósticos para a covid-19

A potencial vacina da AstraZeneca estará disponível a 61 países e a da Novavax irá para outros 92.

O objetivo da OMS é haver dois mil milhões de doses de vacinas até ao fim de 2021.

O projeto entre a Universidade de Oxford e a AstraZeneca é um dos mais promissores, a que se juntam os da Pfizer e da BioNTech, da Moderna e de vários projetos chineses, nomeadamente da CanSinoBIO que já obteve autorização para administrar a vacina em militares chineses.

UE contribui com 230 M€ mais 170 M€ para o mecanismo COVAX

A Comissão Europeia participa no mecanismo COVAX para um acesso equitativo às vacinas contra a Covid-19 a preços acessíveis.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global