Economia

Costa diz que a "lição" à Galp é defender quem foi despedido

ANTÓNIO COTRIM

Num artigo de opinião, o primeiro-ministro pretende esclarecer o que disse em maio na Cimeira Social no Porto e agora, em Matosinhos.

António Costa diz que a "lição" à Galp é defender quem foi despedido.

Num artigo de opinião assinado hoje no jornal Público, o primeiro-ministro pretende esclarecer o que disse em maio na Cimeira Social no Porto e agora, em Matosinhos.

Costa garante que a opinião não mudou e que foi coerente, que a Galp "é um exemplo de escola de tudo aquilo que não deve ser feito por uma empresa responsável" e critica a data do anúncio do encerramento, antes do Natal.

Costa fala numa "total insensibilidade e irresponsabilidade social" da Galp que deixa em Matosinhos "um enorme passivo ambiental de solos contaminados" sem sequer negociar com a Câmara ou com o Estado o que fazer depois do encerramento da refinaria.

Costa diz mesmo que "era difícil imaginar tanto disparate, asneira, insensibilidade, irresponsabilidade e falta de solidariedade da Galp na refinaria de Matosinhos."

VEJA TAMBÉM: