Coronavírus

Mais 69 mortes e 6.994 casos de Covid-19 em Portugal nas últimas 24 horas

O número mais alto de novos casos desde o início da pandemia. Mais 34 doentes internados em UCI.

Especial Coronavírus

Portugal registou nas últimas 24 horas 6.994 novos casos de infeção e mais 69 mortes associadas à doença Covid-19, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) desta quinta-feira.

Desde o início da pandemia, Portugal regista um total de 3.701 mortes e 243.009 casos de Covid-19.

Há mais 26 doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos, totalizando 458. Em relação aos internamentos em enfermaria, há menos 34 pessoas internadas, totalizando 3.017.

A DGS revela que estão ativos mais 2.703 casos de infeção em relação a quarta-feira. Foram dados como recuperados mais 4.222 doentes, 157.924 desde o início da pandemia.

As autoridades de saúde têm agora sob vigilância 80.097 pessoas.

No que diz respeito aos 6.994 novos casos, 4.415 registam-se na região Norte, 1.542 em Lisboa e Vale do Tejo, 724 na região Centro, 145 no Alentejo, 102 no Algarve, 40 nos Açores e 26 na Madeira.

Das 69 mortes a lamentar nas últimas 24 horas, 29 ocorreram na região Norte, 24 em Lisboa e Vale do Tejo, 12 na região Centro, uma no Alentejo e 3 no Algarve.

DADOS POR GÉNERO E FAIXA ETÁRIA

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções.
O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 107.130 homens e 131.249 mulheres, de acordo com os casos declarados.
O boletim de hoje refere que há 4.630 casos confirmados de sexos desconhecidos que se encontram sob investigação, uma vez que estes dados não são fornecidos de uma forma automática.
Do total de vítimas mortais, 1.897 eram homens e 1.804 mulheres.
O maior número de óbitos continua a concentrar-se nas pessoas com mais de 80 anos.

Marcelo vai propor renovação do estado de emergência

As reuniões do Infarmed sobre a evolução da pandemia de covid-19 em Portugal regressaram esta quinta-feira, em Lisboa.

No final da reunião, Marcelo Rebelo de Sousa revelou que vai enviar ainda hoje ao Parlamento o diploma da renovação do estado de emergência por mais 15 dias, de 24 de novembro até 8 de dezembro.

"Enviarei ainda esta tarde para a Assembleia da República - tendo em conta o que ouvi aos partidos políticos, o que ouvimos todos aos especialistas, o parecer do Governo - o diploma para ser votado amanhã [sexta-feira] ", anunciou o Presidente da República.

Novas medidas vão ser anunciadas no sábado ​​​

O Governo vai anunciar as novas medidas no âmbito de uma eventual prorrogação do estado de emergência no sábado, depois da reunião do Infarmed, esta quinta-feira, e do Conselho de Ministros, na sexta-feira.

Através de uma nota do gabinete do primeiro-ministro, é esclarecido que ainda "não foram tomadas quaisquer decisões".

Governo pondera fechar fronteiras entre concelhos nos fins de semana alargados de dezembro

O Governo está a ponderar aumentar o controlo da circulação entre concelhos nos fins de semana alargados do 1 e 8 de dezembro.

É uma das possibilidades para evitar os encontros familiares e travar a propagação da pandemia do novo coronavírus, numa altura em que é esperado um pico de internamentos por covid-19.

Férias de Natal nas escolas podem ser antecipadas

Além da proibição de circulação entre concelhos, o Governo poderá determinar a antecipação das férias escolares do Natal.

Pico de infeções diárias previsto no final do mês

O epidemiologista Manuel do Carmo Gomes estima que o país atinja o pico de novos casos de covid-19 da segunda vaga entre os dias 25 e 30 de novembro, em média com 7 mil novos casos diários.

As previsões apontam para que o pico de mortes seja atingido na segunda semana de dezembro, com cerca de 95 a 100 óbitos por dia.

O epidemiologista esteve presente na reunião no Infarmed, que voltou esta quinta-feira a juntar políticos, especialistas e parceiros sociais.

Origem do contágio desconhecida em 81,4% dos casos

A Direção-Geral da Saúde admite dificuldades em obter informação sobre a origem dos contágios por covid-19.

Em 81% dos casos não se sabe onde surgiu o contágio, mas na proporção onde há dados, 60% têm origem em contexto familiar.

A conclusão é da Direção Geral da Saúde que esta manhã apresentou este e outros dados sobre a evolução da pandemia em Portugal, entre o início de outubro e o dia 15 de novembro.

Com base nos novos três patamares de risco, a área do Grande Porto continua a ser a mais afetada, ou seja, tem mais de 960 novos casos por 100 mil habitantes.

Número de infeções no mundo ultrapassa 55,6 milhões

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.339.130 mortos resultantes de mais de 55,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Avanços nas vacinas e tratamento contra a Covid-19

Este mês de novembro tem tido várias boas notícias sobre os avanços no desenvolvimento de uma vacina contra o SARS-CoV-2 bem como um tratamento novo.

► As farmacêuticas Pfizer e BioNTech anunciaram na segunda semana de novembro que a sua vacina BNT162b2 contra a Covid-19 alcançou 90% de eficácia nos testes. Uma semana depois anunciaram ter concluído os testes com 95% de eficácia. Hoje o responsável da BioNtech revelou a possibilidade de a vacina poder começar a ser administrada antes do Natal.

► A vacina que está a ser desenvolvida pela universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca - ChAdOx1 nCoV-19- demonstrou ser segura e provocar uma resposta imunitária em pessoas mais idosas na fase 2 do ensaio clínico. Os resultados finais vão ser apresentados "antes do Natal", assegurou o líder da investigação.

► O porta-voz do ministro da Saúde da Rússia veio assegurar que a vacina que está a ser desenvolvida no país - a Sputnik V - tem uma taxa de eficácia superior a 90% e no dia seguinte Putin garantiu que "todas as vacinas russas contra a Covid-19 são eficazes"

► A vice-Presidente russa anunciou que os testes clínicos da segunda vacina russa contra a Covid-19, a EpiVacCorona que está a ser desenvolvida pelo Instituto Vector, começam a 15 de novembro,

► O ensaio clínico da potencial vacina CoronaVac da chinesa Sinovac chegou a ser suspenso no Brasil devido a "efeito adverso grave.", embora a empresa chinesa reafirme a confiança no produto, indicando que o efeito secundário não está relacionado com a vacina. Os testes foram retomados no dia 11.

► A 16 de novembro a farmacêutica Moderna revelou que a sua vacina experimental tem uma eficácia de 94,5%.

► A agência norte-americana do medicamento (FDA) deu uma autorização de utilização de emergência e temporária de um medicamento experimental para a Covid-19 fabricado pela Eli Lilly, mas apenas para doentes com sintomas ligeiros ou moderados e não para hospitalizados a necessitar de oxigénio.

O tratamento experimental com anticorpos sintéticos é o primeiro especificamente desenvolvido para o novo coronavírus.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global