Coronavírus

Primeira farmacêutica a anunciar resultados sobre eficácia da vacina contra a Covid-19

Farmacêutica Moderna divulga dados em novembro e "prepara ativamente" o lançamento da vacina .

Especial Coronavírus

A empresa de biotecnologia norte-americana Moderna Inc. vai divulgar os dados da última fase do ensaio clínico da sua vacina contra a Covid-19 agora em novembro. É a primeira empresa a oferecer uma linha temporal mais concreta para o mundo ter uma noção quando poderá ter uma vacina eficaz.

Um comité independente vai avaliar no início de novembro o ensaio clínico feito com 30 mil voluntários e a Moderna quer avançar no meio do mês com o pedido de autorização de urgência à agência norte-americana do medicamento U.S. Food and Drug Administration.

“Estamos a preparar ativamente para o lançamento da mRNA-1273 e assinamos uma série de acordos de fornecimento com governos em todo o mundo”, disse o CEO da Moderna, Stephane Bancel, em comunicado . “A Moderna tem os mais altos padrões de qualidade de dados e pesquisa científica rigorosa enquanto continuamos a trabalhar com os reguladores para avançar com a mRNA-1273.”

A empresa com sede em Cambridge, Massachusetts, fez contrato com o Governo norte-americano bem como com vários outros países para fornecer a vacina logo que esteja autorizada, tendo já recebido 1,1 mil milhões de dólares.

Está também em negociações com a OMS para inegrar o mecanismo COVAX para tornar a vacina economicamente acessível.

Fase 3 dos testes clínicos

A empresa de biotecnologia dos Estados Unidos anunciou resultados positivos para a sua candidata a vacina contra o novo coronavírus mRNA-1273. Garantiu que os organismos dos pacientes que receberam as duas doses necessárias produziram anticorpos.

As vacinas mais promissoras no combate à Covid-19

Laboratórios por todo o mundo estão numa corrida contra o tempo para desenvolver uma vacina contra o novo coronavírus. Há dezenas de equipas a testar várias candidatas a vacina, algumas estão mais avançadas e são promissoras, mas os cientistas avisam que nenhuma deverá estar pronta antes do fim deste ano ou mesmo no próximo ano.

Segundo o London School of Hygiene & Tropical Medicine, (que tem um gráfico que mostra o progresso das experiências) há 248 projetos e 51 estão na fase de ensaios clínicos, sendo que 10 estão na fase III - que consiste na inoculação da vacina em milhares de voluntários a fim de determinar se impede de facto a infeção.

Além do projeto da Moderna, o projeto entre a Universidade de Oxford e a AstraZeneca é um dos mais promissores, a que se juntam os da Pfizer e da BioNTech, dos laboratórios Sanofi e GSK, de vários projetos chineses, nomeadamente da CanSinoBIO que já obteve autorização para administrar a vacina em militares chineses.

Plataforma global COVAX

O mecanismo COVAX é uma plataforma global para o desenvolvimento de vacinas contra a Covid-19, apoiada pela Organização Mundial da Saúde, para um acesso equitativo às vacinas a preços acessíveis.

Participam vários países, instituições e organizações, como a União Europeia.

No total, de acordo com os últimos dados oficiais em outubro, 184 países aderiram até agora ao mecanismo internacional de compra e distribuição de vacinas: 92 países de rendimentos baixos e médios que receberão as doses gratuitas e 92 países de " rendimento alto" que passarão pela Covax para se abastecerem, mas terão de pagar pelas doses do próprio bolso.

Pelo menos 1,175 milhões de mortos em todo o mundo

A pandemia provocada pelo novo coronavírus já fez pelo menos 1.175.992 mortos em todo o mundo desde que foi notificado o primeiro caso na China, segundo o balanço diário da agência France-Presse.

Mais de 44.561.260 pessoas foram infetadas pelo novo coronavírus em todo o mundo, segundo o balanço, feito às 11:00 TMG (12:00 em Lisboa) de hoje com base em fontes oficiais.

Até hoje, pelo menos 29.949.000 pessoas foram consideradas curadas de covid-19, acrescenta a agência francesa, sublinhando que os números oficiais refletem apenas parte do número real de contaminações no mundo.

Alguns países só testam os casos graves, outros utilizam os testes sobretudo para rastreamento e muitos países pobres dispõem de capacidades limitadas de testagem.

Na quarta-feira, registaram-se 6.979 mortes e 479.389 novas infeções, segundo os números coligidos e divulgados pela agência.

Mais 24 mortes e 3.960 casos de Covid-19 em Portugal

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim diário desta quarta-feira que há mais 24 mortes e 3.960 novos casos de covid-19 em Portugal.

O número de mortes subiu de 2.371 para 2.395, mais 24 do que na terça-feira - 8 ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, 11 no Norte, 4 na região Centro e 1 no Alentejo.

Já o número de infetados subiu de 124.432 para 128.392, mais 3.960 casos.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global