Desafios da Mente

Mentes vencedoras: desporto de formação

Mauro Paulino

Mauro Paulino

Psicólogo Clínico e Forense

Ainda que a Psicologia do Desporto identifique diversos fatores que contribuem para uma performance desportiva de excelência não quer dizer que todas as crianças e jovens tenham que ser estrelas em ascensão, por muito que os pais queiram. Apenas uma pequena percentagem de crianças que participam em desportos escolares se tornam atletas de elite. Porém, o desporto facilita um conjunto de experiências de socialização que promovem e reforçam certas competências.

Benefícios do desporto de formação

A prática do desporto traz consigo um conjunto de vantagens evidentes para as crianças e adolescentes, como uma maior autoestima, interações sociais positivas e uma redução dos sintomas depressivos.

Como um autêntico capital para o futuro, os atributos ou capacidades que contribuem para o sucesso de um indivíduo em vários momentos ao longo da sua vida podem ser adquiridos e desenvolvidos em contexto desportivo. Por exemplo, competências de gestão do tempo, a cooperação, o respeito, a justiça, o desportivismo e as capacidades de comunicação são desenvolvidas na prática desportiva durante a infância.

O desperto está também associado ao desenvolvimento de competências sociais e de relações positivas entre pares, mostrando-se os desportos de equipa mais fortemente associados à saúde psicossocial, quando comparados com os desportos individuais.

Os benefícios derivados da participação desportiva, tais como o trabalho de equipa e a responsabilidade de ser membro de uma equipa, podem sustentar a relação entre o desporto e a qualidade de vida das crianças e adolescentes, nesta fase e, inclusive, na vida adulta. A natureza interpessoal e competitiva dos desportos em que as crianças perseguem objetivos claramente definidos como sendo parte de uma equipa pode proporcionar experiências associadas a oportunidades para a prática e implementação de estratégias de regulação emocional.

Quando o desporto ocorre em ambientes exteriores, estimulam mais brincadeiras físicas com os colegas, o que é de extrema importância para o desenvolvimento emocional das crianças. A atividade física que caracteriza o jogo, as brincadeiras como correr, saltar, gritar é acompanhada de excitação fisiológica (por exemplo, batimento cardíaco acelerado, respiração rápida, tónus muscular elevado). Tais sensações corporais são uma componente relevante da experiência emocional, que dão pistas importantes para as crianças compreenderem como se sentem e ganharem domínio sobre os seus corpos.

A perceção e consciência destes sinais corporais relacionam-se com a capacidade de regulação emocional. E, por sua vez, a compreensão e regulação das emoções são competências necessárias para que as crianças tenham sucesso em situações sociais.

Como se não bastasse, tanto a participação desportiva como a atividade física foram associadas ao desenvolvimento cognitivo na infância e adolescência.

Um alerta!

Uma consideração para professores e pais é que a diversidade de desportos pode permitir que as crianças sejam mais respeitadoras das normas sociais dada a exposição a regras diferentes em função dos vários contextos desportivos em que participam. A especialização precoce num desporto ou atividade pode promover o estado de "encerramento" da identidade que ocorre quando a uma criança lhe é prescrita (por exemplo, pelos pais) uma única hipótese sem exploração suficiente de outros papéis.

Por outras palavras, o envolvimento num único desporto, desde a mais tenra idade, pode limitar a exploração de outros desportos e impedir que a criança encontre o que realmente a motiva e realiza.

Acresce que a especialização precoce num desporto ou atividade limita a interação das crianças a um grupo de pares. A diversidade pode beneficiar as crianças que não fazem amigos num determinado contexto, dando-lhes uma oportunidade de serem aceites num outro.

A exploração e experimentação de múltiplos papéis e identidades (por exemplo, atleta versus músico; natação versus futebol) ao longo do seu desenvolvimento encoraja a exploração, dado que expõe as crianças a diferentes ambientes que proporcionam várias oportunidades para decidir o nível em que desejam participar nessas mesmas atividades.

VEJA TAMBÉM:

A PÁGINA DESAFIOS DA MENTE